Bovespa abre pregão em alta e ensaia recuperação

O índice Ibovespa abriu o pregão regular em alta, após o abalo de ontem, quando o índice caiu 3,18%, para o nível de 35.512 pontos, completando cinco pregões de baixa. O Ibovespa subia 0,73% às 10h08, na máxima, a 35.771 pontos. Mas o dia mal começou e tudo vai depender, mais uma vez, dos números sobre o mercado imobiliário norte-americano. Depois da queda de 4,1% nas vendas de imóveis usados em julho nos EUA, divulgada ontem, os investidores estão de olho hoje nos dados de vendas de imóveis residenciais novos, também de julho, que saem às 11 horas. O que o mercado quer ver é se há sinais também nesse segmento de imóveis novos de desaquecimento forte da atividade. Às 10h09, os índices futuros de ações em Nova York registram leve alta. O Nasdaq subia 0,18% e o S&P 500 avançava 0,18%. A percepção é que o mercado doméstico de ações deve manter a aversão ao risco no curto prazo. Amanhã, o presidente do Fed (banco central americano), Ben Bernanke, fala numa reunião de bancos centrais e ministros de finanças. O medo maior dos investidores é de que o enfraquecimento da economia nos EUA provoque queda nos preços das commodities. O Ibovespa tem forte dependência das commodities. Entre os países do chamado BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), a Bolsa brasileira apresenta o pior resultado, com o Ibovespa acumulando queda, em dólares, de 2,52% entre 31 de julho e o fechamento de ontem.

Agencia Estado,

24 de agosto de 2006 | 10h11

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.