Bovespa acompanha ações da Petrobras e cai

O comportamento do principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), o Ibovespa, segue atrelado ao desempenho das ações da Petrobras. Os papéis da estatal de petróleo, que operavam de lado no começo do pregão, passaram a cair 0,70% (ações preferenciais) e 0,67% (ações ordinárias). A reação do Ibovespa foi imediata. O índice, que chegou a subir na abertura, registra baixa e recuava 0,12%, às 12h42. Petrobras continua pressionada por expectativas ruins em relação ao balanço do quarto trimestre do ano. Segundo apurou a Agência Estado, apesar de estimar um lucro anual recorde para o balanço financeiro da Petrobras referente ao ano de 2006, os investidores estão cautelosos e esperam que o lucro trimestral da companhia registre queda. A média da previsão de cinco analistas consultados pela AE aponta para um lucro de anual de R$ 27,4 bilhões em 2006 para a controladora, ante R$ 23,7 bilhões no ano anterior, o que representa um acréscimo de 15,6%. No entanto, segundo as projeções, o lucro nos últimos três meses do ano passado deve somar R$ 6,7 bilhões, uma retração de 5,4% sobre o trimestre imediatamente anterior, ou redução de 17,2% sobre o mesmo período em 2005. O petróleo, um dos fatores que mexe com as ações, está de lado hoje. Às 12h43 (de Brasília), registrava alta de 0,89%, para US$ 60,24 no barril futuro para março na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) eletrônica. Além disso, começam a ficar mais fortes rumores no mercado sobre um possível anúncio da empresa, no final de fevereiro, de redução nos preços da gasolina e do diesel. Para um analista, a estratégia seria perigosa para a companhia, caso confirmada, já que a cotação do petróleo permanece muito instável. Outro fator de instabilidade para Petrobras hoje é o vencimento de opções sobre ações na Bovespa, marcado para essa segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.