Bovespa acompanha NY e encerra com ganho de 1,22%

Notícias corporativas imprimiram hoje um tom positivo aos mercados de ações norte-americano e europeu e também à Bovespa, que fechou em alta de 1,22%, aos 37.288 pontos. Na máxima, o Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa de Valores de São Paulo, chegou a subir 1,74%. Na mínima, não passou de -0,02%. O volume financeiro foi de R$ 2,25 bilhões. Enquanto esperam o relatório de emprego dos EUA na sexta-feira, que deverá possibilitar uma avaliação mais consistente sobre a reunião do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) na próxima terça-feira, os investidores fixaram as atenções nos resultados positivos de empresas. Nem a alta do petróleo, que superava no início da tarde US$ 75,81 (+1,20%) o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), foi empecilho para as bolsas subirem. Em Nova York, os balanços favoráveis apresentados pela Procter & Gamble e pela Time Warner estimularam as compras. O índice Dow Jones terminou em alta de 0,67% e o Nasdaq avançou 0,82%, alimentando a alta da Bovespa, que contava ainda com a ajuda dos balanços divulgados entre ontem e hoje. Entre os destaques do pregão estava Petrobras, que puxava a fila do volume financeiro. A ação ordinária (ON) subiu 2,19% e a preferencial (PN) registrou ganho de 1,53%, beneficiadas pela valorização nas cotações de petróleo. As ações da Arcelor Brasil também ganharam muita visibilidade, desbancando da vice-liderança da lista de mais negociadas Vale do Rio Doce, ao mesmo tempo em que lideraram a lista de melhores desempenhos. Arcelor ON subiu 3,31%, repercutindo o balanço da empresa e, principalmente, a determinação da Comissão de Valores Mobiliários para que a Mittal Steel faça uma oferta pública pelas ações dos minoritários. A Mittal disse que vai recorrer da decisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.