SERGIO CASTRO/ESTADÃO
SERGIO CASTRO/ESTADÃO

Bovespa acumula alta de 8,28% em cinco dias

Ibovespa segue valorização de bolsas no exterior, que se animam pela expectativa de que a China adote novas medidas de estímulo

Claudia Violante, O Estado de S. Paulo

05 Outubro 2015 | 17h44

SÃO PAULO - A Bovespa manteve a trajetória de ganhos dos últimos quatro pregões e terminou a segunda-feira em elevação, acumulando nestes cinco dias alta de 8,28%. A valorização das bolsas internacionais foi o principal direcionador do mercado na sessão e o setor siderúrgico se destacou na Bolsa paulista. 

O Ibovespa terminou o dia em alta de 1,20%, aos 47.598 pontos. Na mínima, marcou 47.019 pontos (queda de 0,03%) e, na máxima, 48.081 pontos (alta de 2,23%). No mês, acumula valorização de 5,63% e, no ano, perda de 4,82%. O giro financeiro totalizou R$ 5,7 bilhões.

A percepção dos agentes de que o início do aperto monetário nos EUA pode demorar mais e de que novas medidas de estímulo podem ser adotadas na China fez com que as bolsas europeias fechassem em alta firme e as norte-americanas também exibissem evolução, não restando à Bovespa outra alternativa que não acompanhar o movimento. 

Nos EUA, o PMI da Markit caiu 55,1 em setembro, de 56,1 em agosto e o ISM foi de 59 em agosto para 56,9, ante previsão de 57,7. O Dow Jones terminou o dia em alta de 1,85%, aos 16.776,43 pontos, o S&P, de 1,83%, aos 1.987,05 pontos, e o Nasdaq de 1,56%, aos 4.781,26 pontos. 

A expectativa de que a China anuncie mais medidas de estímulo ocorreu após o Banco Mundial rebaixar sua expectativa para o crescimento do PIB do país em 2015 para 6,9%, de 7,1% na previsão anterior. As commodities tiveram um dia de ganho. O petróleo para novembro negociado na Nymex avançou 1,58%, a US$ 46,26 o barril, ajudando Petrobras a subir. 

No mercado doméstico, contribuiu para a alta a agenda política mais tranquila, sem sessões no Congresso ou em qualquer outro tribunal, como TSE ou TCU, e apenas com o destaque das posses dos novos ministros anunciados na semana passada. 

Petrobras ON, 2,73%, PN, 0,64%. Vale, também ajudada por China, subiu 1,80% na ON e 1,59% na PNA. 

Siderúrgicas foram o destaque: CSN ON, +8,20%, foi a segunda maior alta do Ibovespa, Gerdau PN, com +5,30%, ficou na quarta colocação, seguida por Usiminas PN (+4,43%) e Metalúrgica Gerdau PN (+4,32%). 

Mais conteúdo sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.