Bovespa acumula ganhos e sobe 5,37% na semana

Apesar de cinco dias de alta, Bolsa tem perdas de 8,01% no ano; foi a primeira semana positiva após quatro recuos

Claudia Violante, da Agência Estado,

21 de março de 2014 | 17h49

A Bovespa teve um pregão bastante volátil, mas, no final, fechou na contramão de Nova York e subiu. Foi a quinta sessão consecutiva de ganhos, o que resultou na primeira semana em alta após quatro quedas seguidas. Petrobrás também teve um dia de vaivém, oscilando entre perdas superiores a 3% e ganhos de 1%. No fim, garantiu um pequeno ganho, mas que ajudou a sustentar o desempenho da Bolsa brasileira.

O Ibovespa terminou a sessão com variação positiva de 0,22%, aos 47.380,94 pontos. Na mínima, registrou 46.721 pontos (-1,18%) e, na máxima, 47.832 pontos (+1,17%). Na semana, acumulou ganho de 5,37% e, no mês, elevação de 0,61%. No ano, a Bolsa ainda tem perdas de 8,01%. O giro financeiro totalizou R$ 7,952 bilhões, o maior do mês.

A Bolsa brasileira abriu em queda, pressionada por uma realização de lucros nas ações estatais depois que a pesquisa Ibope divulgada ontem contrariou os rumores do mercado e mostrou que a presidente Dilma Rousseff segue firme na liderança da disputa eleitoral de outubro, com 43% das intenções de voto. Com esse nível, ela venceria a disputa.

O movimento, no entanto, acabou sendo absorvido pela alta das bolsas norte-americanas, que influenciou os investidores a comprarem ações aqui. Petrobrás trabalhou com muita volatilidade, mas garantiu ganhos de +0,52% na ON e +0,21% na PN no final, em dia de reunião do Conselho de Administração da empresa. A pauta não foi divulgada.

Vale ON terminou em alta de 1,84% e Vale PNA, de 2,10%. Gerdau PN subiu 2,47%, Metalúrgica Gerdau PN, 2,36%, Usiminas PNA, 0,53%, CSN ON, 0,21%. A China ajudou a puxar esses papéis para cima. As bolsas lá tiveram alta firme com a expectativa de que o país autorizaria a emissão de ações preferenciais por empresas locais para levantar capital, informação confirmada depois do fechamento.

Nos EUA, pela manhã, a manutenção do rating do país pela Fitch e o resultado positivo dos testes de estresse garantiram o sinal positivo pela manhã. À tarde, após discursos de dirigentes do Fed sobre política monetária e uma pressão no setor de saúde, as bolsas passaram a cair. No final, o Dow Jones fechou com ligeira baixa de 0,20%, aos 16.298,46 pontos, o S&P caiu 0,30%, aos 1.866,30 pontos, e o Nasdaq teve perda de 0,98%, aos 4.276,79 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.