Bovespa atinge novo recorde histórico, após subir 2,89%

A Bovespa fechou a terça-feira em novo recorde histórico, a 39.572 pontos. O recorde anterior, do dia 6 deste mês, era de 39.285 pontos. O nível de hoje foi alcançado com alta de 2,89%, em um dia com volume de negócios de R$ 2,93 bilhões. A Bolsa oscilou entre a máxima de 38.583 pontos e a mínima de 38.466 pontos. Essa nova arrancada da Bolsa foi impulsionada pela melhora de humor no mercado internacional, que envolveu vários fatores. O mais importante deles foi a divulgação da ata do Comitê Federal de Política Monetária (Fomc), do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), referente à reunião de março. A ata agradou o mercado, por indicar que a maioria dos participantes da reunião do Fomc acreditava que o fim do ciclo de apertos monetários iniciado em meados de 2004 estava "provavelmente próximo", e alguns participantes inclusive mostraram-se preocupados com a possibilidade de o Fed ter exagerado nas elevações das taxas de juro de curto prazo. Outros fatores foram os indicadores divulgados hoje nos EUA: o índice de preços ao produtor (PPI) e o de obras iniciadas em março. O núcleo do PPI subiu apenas 0,1%, abaixo do esperado, que era 0,2%. E o indicador do mercado imobiliário mostrou desaquecimento do setor, ao registrar queda de 7,8% no número de obras iniciadas em março, retração bem maior que a prevista, de 4,7%.

Agencia Estado,

18 Abril 2006 | 17h25

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.