Bovespa aumenta a queda durante a tarde

Às 15 horas, o Ibovespa registrava desvalorização de 1,39%, aos 64.674 pontos

Beth Moreira, da Agência Estado ,

30 de agosto de 2010 | 14h44

Após o rali da última sexta-feira, quando o Ibovespa subiu mais de 2%, investidores voltam a mostrar cautela neste início de semana, período que será marcado por uma agenda econômica carregada. Às 15 horas, o Ibovespa registrava desvalorização de 1,39%, aos 64.674 pontos, após alcançar a mínima de 64.533 pontos. O giro financeiro era de R$ 2,4 bilhões, com previsão de R$ 4,56 bilhões para o fechamento.

Em Nova York, os mercados também recuavam. No mesmo momento, o Dow Jones registrava queda de 0,79%, enquanto o S&P 500 caía 0,80%.

Segundo operadores, a volatilidade deve ser grande nessa semana. No âmbito interno, as atenções se voltam para a reunião do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), na quarta-feira, que deverá bater o martelo no preço do barril de petróleo que a União vai ceder onerosamente para a Petrobrás no processo de capitalização da estatal. No cenário, internacional, a expectativa recai sobre o payroll norte-americano de agosto, que será divulgado na sexta-feira. No mesmo dia, entra em vigor a nova carteira teórica do Ibovespa.

Alguns profissionais acreditam, no entanto, que podemos ver uma melhora no principal índice da Bolsa até quarta-feira, com gestores de fundos tentando melhorar a performance de suas carteiras em agosto. "Final de mês sempre dá uma puxada", lembra um operador.

As ações da Petrobrás seguem pesadas, enquanto investidores aguardam novidades sobre o processo de capitalização da estatal, o que impede uma melhora do Ibovespa, visto o peso dos papéis no índice. Há pouco, Petrobrás PN recuava 3,01%, entre as maiores quedas do Ibovespa, e o ON cedia 2,44%.

O CNPE deve apenas referendar o valor do barril da cessão onerosa já definido pelo governo. Na última quinta-feira, fontes disseram à repórter Kelly Lima que o governo já definiu o preço do barril em US$ 8,50. A Petrobrás teria resistido à decisão, segundo as fontes, mas acabou cedendo e concordando com o valor após ver o processo de capitalização ameaçado de adiamento. Técnicos da Agência Nacional do Petróleo (ANP) não cederam completamente e há uma tendência dentro da reguladora a apresentar argumentações nos próximos dias que forcem o governo a aproximar este valor dos US$ 10.

Se confirmado o certo do barril a US$ 8,50, a cessão onerosa desta área custará à Petrobrás US$ 38,25 bilhões.

Vale, outro peso pesado do Ibovespa também opera em queda. O papel PNA da mineradora cai 1,95% e ON cede 2,07%.

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaaçõesmercadoPetrobrásVale

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.