Bovespa avança 1,12% e fecha em nível recorde, de novo

A Bovespa chegou hoje ao seu 23º recorde no ano e ao terceiro consecutivo (nos pregões de quinta, sexta e esta segunda). O feito se deu após alta de 1,12%, e a Bolsa fechou a 41.979 pontos. O recorde anterior, alcançado ontem, foi de 41.515 pontos. O volume de negócios foi de R$ 3,44 bilhões, o maior desde 12 de abril (quando chegou a R$ 4,8 bilhões). A Bolsa paulista oscilou entre a máxima de 42.015 pontos e a mínima de 41.446 pontos. O que empurrou a Bovespa à nova máxima histórica foram as notícias corporativas sobre Embratel, Gerdau, Itaú e Brasil Telecom, que roubaram a cena no pregão. Nem a expectativa com a reunião do Federal Reserve (banco central dos EUA) conseguiu frear a valorização das ações e a entrada de capital externo. As ações da Embratel foram muito negociadas em resposta à decisão de sua controladora, a Telmex, de fazer uma oferta pública para comprar todas as ações da operadora brasileira. Gerdau foi também muito negociado, pois voltou atrás em sua decisão de cobrar royalties de 0,6% sobre o faturamento líquido das empresas do grupo. Itaú e Brasil Telecom foram destaque devido aos bons balanços que divulgaram hoje.

Agencia Estado,

09 de maio de 2006 | 17h27

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.