Bovespa avança 2,82% e encerra de novo na máxima

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, fechou a sexta-feira em alta de 4,96%, aos 37.568 pontos, nível máximo do dia. Ontem, a Bolsa também havia encerrado na máxima. Com isso, o ganho da Bolsa em 2006 está em 15,46%, apesar de, em maio, o Ibovespa ainda acumular perda de 4,29%. O volume de negócios hoje foi de R$ 2,81 bilhões. O índice oscilou entre a máxima e a mínima, de 37.574 pontos. O que garantiu à Bolsa paulista manter o tom otimista de ontem (quando fechou em +4,96%) foram os dados do índice de gastos com consumo pessoal (PCE) norte-americano, divulgados hoje. O núcleo do índice, que exclui energia e alimentos, ficou em +0,2%, exatamente o esperado pelos analistas. Outro dado positivo foi o resultado de renda e gastos pessoais, que cresceram menos que o esperado (0,5%, ante previsão de 0,7%. A correção para cima na Bovespa foi mais acentuada justamente nos papéis que mais apanharam durante o período turbulento do mercado. Banco do Brasil ON (+7,89%), TIM ON (+6,49%) e Vivo PN (+6,26%) lideravam os ganhos perto do fim do pregão. Por causa do feriado de segunda-feira nos EUA (Memorial Day), alguns mercados fecharam mais cedo hoje, o que afetou a liquidez na Bovespa na segunda metade do pregão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.