Bovespa bate recorde pelo segundo dia consecutivo

A Bovespa fechou a quarta-feira em novo recorde histórico, a 39.937 pontos, após quebra de recorde ontem, quando fechou em 39572 pontos. O nível de hoje foi alcançado com alta de 0,92%, em um dia com volume de negócios de R$ 2,39 bilhões. A Bolsa oscilou entre a máxima de 40.026 pontos e a mínima de 39.492 pontos. Impulsionada por bancos e elétricas, a Bovespa chegou a romper a barreira psicológica dos 40 mil pontos. Em dia de reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), os bancos subiram forte por conta da expectativa de queda dos juros, o que tende a incentivar a demanda por crédito. Com isso, a Bolsa resistiu a uma realização de lucros, apesar de o juro do título do Tesouro norte-americano de 10 anos ter voltado ao nível de 5% ao ano, ajustando-se ao núcleo mais alto do que o esperado do índice de preços ao consumidor dos EUA (CPI) de março, divulgado hoje. O fato de as bolsas norte-americanas terem mantido o sinal de alta, embora com mais moderação do que ontem, ajudou a dar sustentação ao mercado A Bolsa paulista também foi ajudada pelos dois índices de inflação divulgados hoje, que vieram abaixo do piso das previsões: o IPC-Fipe da segunda quadrissemana teve deflação de 0,06% e o IGP-10 de abril teve queda de 0,65%.

Agencia Estado,

19 Abril 2006 | 17h20

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.