Bovespa bate recordes, com altas de Telemig e Vale

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) continua batendo recordes. Após fechar na máxima histórica ontem, aos 46.090 pontos, o indicador hoje testa novos recordes de pontuação, com o máximo atingido por volta do meio-dia, em alta de 1,34%, aos 46.707 pontos. Segundo operadores, os ganhos das bolsas nos demais países e o fluxo de capital favorável dão sustentação a mais esse dia de valorização. Um profissional comenta que os investidores locais estão atuando com fôlego, com dinheiro novo entrando em fundos. Às 12h21, o a Bovespa subia 1,09%, aos 46.591 pontos. A força da Bovespa pode ser confirmada pelas altas das ações de primeira linha (blue chips, na versão em inglês) de Petrobras e Vale do Rio Doce, que eram de 1,58% e 1,56%, respectivamente. Os volumes são de R$ 91 milhões e R$ 67 milhões, bem à frente da terceira colocada, a Usiminas, com R$ 17 milhões. Vale do Rio Doce tem condição extra com as compras de ações de mineradoras na Europa. Telemig lidera as altas do Ibovespa, destacando-se com +3,81%. Segundo operadores e analistas, as ações estão descontadas, e caem 23% em um ano, ante elevação de 22% do Ibovespa. No entanto, as especulações giram em torno da venda da empresa. Embora não tenha chegado nenhum rumor novo às mesas, sabe-se que Mem Celular Participações, controladora indireta da Telemig Celular Participações e da Tele Norte Celular Participações, oficializou no último dia 29 a contratação do Merrill Lynch como consultoria para possível venda das operadoras Telemig e Amazônia. Entre as perdas, que são variadas, estão Gerdau Metalúrgica e Arcelor. A primeira devolve os fortes ganhos de ontem, de 3,77%. Já a Arcelor (-0,38%) divulgou balanço ontem, quando as ações subiram 0,20%. O lucro da empresa em 2006, de R$ 2,268 bilhões, ficou 5% acima da média das projeções dos analistas consultados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.