Bovespa cai 0,29% na abertura e deve manter cautela

O sinal é de cautela no mercado de ações hoje, que promete mais um pregão enfraquecido. Na ausência de indicadores econômicos importantes, o tom dos negócios está sendo dado pelo noticiário corporativo, que não é muito bom. O balanço da blue chip (ação de primeira linha) Alcoa, divulgado ontem à noite, desapontou os investidores, que foram surpreendidos também com o alerta negativo da empresa de telecomunicações Lucent Technologies. O receio de que os números dessas duas empresas possam estar antecipando uma safra ruim de balanços mantém os investidores na defensiva. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em baixa e às 10h10 o seu principal indicador recuava 0,29%, aos 36.035 pontos. Também por volta deste horário, o índice Nasdaq futuro perdia 0,50% e o S&P 500 cedia 0,17%. Na Europa, as principais bolsas também trabalham no vermelho. O alerta de resultado feito ontem pela Lucent está prejudicando o desempenho da Alcatel, cujas ações caíam 6% mais hoje em Paris. A Alcatel adquiriu recentemente a Lucent. No caso da Alcoa, o lucro veio em linha com as previsões, mas as vendas ficaram abaixo das estimativas. Com o foco das atenções sobre as notícias corporativas, aumenta a expectativa com o balanço da Genentech, que deve sair para depois do fechamento. A estimativa é que a segunda maior companhia de biotecnologia do mundo anuncie lucro de US$ 0,47 por ação. A Bovespa tende a ficar de lado nesta terça-feira, oscilando ao sabor de Nova York, e com pouco fluxo financeiro. Segundo especialistas, as férias de verão nos Estados Unidos e Europa esfriam os negócios no Brasil. Ontem, o volume financeiro foi de apenas R$ 1,084 bilhão. A agenda doméstica do dia não tem força para influenciar o rumo do mercado de ações brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.