Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Bovespa cai 3,28% e termina no menor nível desde 9/3

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, fechou a segunda-feira em forte baixa, de 3,28%, aos 36.496. Este é o menor nível desde o dia 9 de março deste ano, quando o índice encerrou em 36.312 pontos. O volume de negócios hoje foi de R$ 3,31 bilhões. O índice oscilou entre a máxima de 37.732 pontos e a mínima de 35.663 pontos. A Bovespa registrou queda forte porque os ativos brasileiros são arrastados pelo "tsunami externo", que voltou a provocar estragos no mercado financeiro mundial. O dia já começou em clima ruim, com as bolsas asiáticas e européias em queda forte e os preços das commodities dando continuidade ao movimento de baixa. Assustados com a possibilidade de o juro norte-americano se manter em alta por um período mais prolongado de tempo por causa de pressões inflacionárias e com o temor de desaquecimento da economia mundial, os investidores continuaram desmontando posições em mercados emergentes, acionando o sinal de "stop loss" (prevenção contra prejuízo) em vários mercados, inclusive na Bovespa, que vive hoje o seu pior pregão desde que começou o ajuste no último dia 10. Até então, a maior queda da bolsa neste período havia sido no dia 17, quando a Bovespa caiu 2,86%. Entre as maiores perdas no índice hoje, estavam as ações da Embratel. No início da tarde, a perda das preferenciais da companhia alcançava 8,36%, para R$ 5,92, depois de 1.382 negócios. Os investidores temem um cancelamento da oferta lançada pela Telmex, a R$ 6,95 para os papéis ordinários e preferenciais da operadora brasileira de longa distância.

Agencia Estado,

22 de maio de 2006 | 17h22

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.