Bovespa cai 3,56% em outubro, após três meses de ganhos

  Volta dos mercados de NY deram o tom negativo aos negócios; papéis da Petrobras caíram mais de 3% nesta quarta-feira

Alessandra Taraborelli, da Agência Estado,

31 Outubro 2012 | 17h37

A Bovespa encerrou este último dia de outubro em queda e registrou a primeira perda mensal depois de três meses consecutivos de ganhos. A volta dos mercados em Nova York contribuiu para dar o tom negativo aos negócios, com alguns investidores estrangeiros fazendo os ajustes com os papéis da Petrobras, que caíram mais de 3% nesta quarta-feira após a decepção com o balanço trimestral divulgado na sexta-feira. As ações da Vale também operaram em queda na maior parte do dia, mas perto do fechamento terminaram praticamente estáveis. Além disso, um dado industrial divulgado nos EUA abaixo do esperado e novas informações sobre o futuro da economia da Grécia contribuíram para o tom pessimista.

O Ibovespa encerrou com declínio de 1,07%, aos 57.068,18 pontos. Das 22 sessões ao longo de outubro, a Bolsa esteve no negativo em 13 delas. No mês, a perda é de 3,56%, mas no ano, ainda sustenta alta de 0,55%. Na mínima, o principal índice atingiu 56.929 pontos (-1,31%) e, na máxima, 57.935 pontos (+0,44%). O giro financeiro, que nos últimos dois dias ficou em torno de R$ 3 bilhões, hoje somou R$ 5,889 bilhões.

O diretor de renda variável da Queluz Asset Management, Maurício Pedrosa, observou que atualmente os investidores precisam olhar mais para empresas específicas do que para o índice. Ele ressaltou que há boas companhias para serem compradas.

Apesar do cenário ainda ser incerto, principalmente no que se refere ao exterior, Pedrosa não descartou o tradicional rali de fim de ano. "A Bolsa pode chegar nos 60 mil pontos, mas precisa de mais coisas para ficar neste nível e não chamar realização", ponderou.

Na contramão do petróleo, as ações da Petrobras registraram queda de 3,59% na ON e -3,39% na PN e figuraram entre os destaques de queda do Ibovespa. Na Nymex, o contrato da commodity com vencimento em dezembro encerrou com ganho de 0,65%, a US$ 86,24 o barril.

Os papéis ON da Vale terminaram estáveis e o PNA com pequena queda, de 0,05%. No exterior, os metais subiram.

As empresas do setor de energia fecharam em direções distintas na véspera da divulgação, pelo governo, das novas tarifas e indenizações a que as companhias do setor terão direito de receber pela renovação das concessões que vencem a partir de 2015. Transmissão Paulista PN (+4,49%), Celesc PN (+1,78%) e Equatorial ON (+0,06%). Já Light ON, CPFL ON e Cesp PNB caíram -1,93%, -0,21% e -2,67%, respectivamente.

Em Nova York, às 17h20, depois de operar durante toda a tarde em queda, o índice Dow Jones subia 0,08%, o S&P 500 ganhava 0,14% e o Nasdaq perdia 0,32%

Mais conteúdo sobre:
bolsa Ibovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.