Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Bovespa cai com cautela com Fed e queda de Petrobrás

Bolsa brasileira não teve fôlego para resgatar o sinal positivo e encerrou o pregão em baixa de 0,69%, aos 67.719,13 pontos

Sueli Campo, da Agência Estado,

21 de setembro de 2010 | 17h47

O grande evento do dia - a reunião do Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve (Fomc, na sigla em inglês) - provocou muita volatilidade nos negócios durante a tarde, mas no final das contas prevaleceu mesmo o sinal negativo. A Bovespa desacelerou momentaneamente a queda após a divulgação do comunicado do Federal Reserve (Fed), reavendo os 68 mil pontos, na esteira da virada das Bolsas em Nova York. No entanto, a Bolsa brasileira não teve fôlego para resgatar o sinal positivo e encerrou o pregão em baixa de 0,69%, aos 67.719,13 pontos, com volume financeiro de R$ 5,982 bilhões.

Nos EUA, as compras não se sustentaram e as bolsas voltaram a mostrar cautela ainda tentando assimilar o documento do Fed. O índice Dow Jones reduziu os ganhos e terminou a sessão em ligeira alta de 0,07%. O S&P 500 cedeu 0,26% e o Nasdaq recuou 0,28%.

O Fed, conforme era esperado, manteve a taxa de juro na faixa de zero a 0,25% ao ano. A autoridade monetária norte-americana não anunciou medidas de incentivo econômico por meio da compra de títulos do governo como o mercado financeiro especulava ontem, mas segundo analistas está mantendo a porta aberta para mais acomodação da política monetária a fim de estimular o crescimento.

Os especialistas destacaram a atenção dada pelo Fed à inflação, ao sinalizar que está desconfortável com os recentes níveis muito baixos de inflação e que espera que a recuperação de uma profunda recessão seja modesta no curto prazo. Isso indica, segundo analistas, que mais compras de bônus para estimular o crescimento podem ocorrer em breve. "O Fed repetiu o documento anterior sem colocar nenhum novo incentivo econômico. Pelo tom do comunicado não havia mesmo motivos para a bolsa subir", disse o gestor da Infinity Asset, George Sanders.

A pressão negativa das ações de Petrobrás, depois do alívio da véspera, também pesou na Bovespa hoje. A PN caiu 2,77%, cotada a R$ 26,35, e a ON teve baixa de 3,25%, para R$ 29,80, fechando nos menores preços do dia. Fontes atribuem essa queda à estratégia dos investidores de derrubar o preço do papel para obter um prêmio melhor na oferta pública, daqui a dois dias.

Os interessados em participar da oferta pública de ações da estatal têm até amanhã para reservar a quantidade desejada. O fechamento do livro de oferta (bookbuilding) acontece na quinta-feira, quando será conhecido o preço por ação e a quantidade efetiva de demanda.

Já a outra blue chip (ação de primeira linha), Vale, trilhou caminho oposto ao do Ibovespa. A PNA avançou 0,19% e a ON subiu 0,31%.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaIbovespaFedPetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.