Bovespa cai com Petrobrás e leitura negativa de discurso de ministros

Ibovespa oscilou entre perdas e ganhos, mas fechou em queda de 0,68%, aos 54.721,32 pontos; afetadas por decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), ações da estatal terminaram dia em baixa

Clarissa Mangueira, O Estado de S. Paulo

27 de novembro de 2014 | 18h11

Depois de oscilar entre perdas e ganhos, a Bovespa se firmou em queda à tarde, conduzida pelo recuo das ações da Petrobras e de bancos, e acelerou as perdas com as declarações dos ministros confirmados no governo.

O ministro da Comunicação Social, Thomas Traumann, leu nota oficial, que foi televisionada à tarde, confirmando os nomes de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa para o Planejamento e Alexandre Tombini para continuar no comando do Banco do Central. O comunicado foi seguido por uma entrevista coletiva dos indicados, que não agradou ao mercado, na visão de analistas. 

O mau estar dos agentes começou com o anúncio confuso nesta tarde dos nomes dos ministros. O governo adiou a divulgação das 15 horas para as 16 horas, mas voltou atrás sem avisar e leu uma nota confirmando os nomes. Também não agradou o fato de a presidente Dilma Rousseff não estar presente no evento, dando suporte aos seus escolhidos. "Seria importante para ela passar credibilidade aos escolhidos e mostrar que está firme na mudança da condução da política econômica", comentou um gestor.

O Ibovespa, que havia virado para o vermelho já com a confirmação dos novos ministros, chegou a melhorar quando Levy fez seu pronunciamento, mas piorou em seguida, indo para as mínimas.

Segundo Alexandre Wolwacz, diretor da Escola de Investimentos Leandro&Stormer, o mercado caiu em si ao perceber que a situação doméstica é bastante delicada e é preciso medidas muito drásticas. "Acho que havia uma expectativa de solução milagrosa e ela não existe. Ficou a sensação no mercado de que ou eles não sabem o que vão fazer ou não sabem se terão autonomia para fazer o que querem", avaliou.

No fim do dia, o Ibovespa fechou em queda de 0,68%, aos 54.721,32 pontos. Na máxima, a bolsa atingiu 56.065 (+1,75%) e na mínima, 54.593 pontos (-0,92%). O volume negócios somou R$ 4,597 bilhões. A bolsa acumula altas de 6,24% no ano e 0,17% em novembro.

Entre os destaques de queda estavam as ações da Petrobras, que foram afetadas pela decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de manter o teto de produção inalterado em 30 milhões de barris por dia após se reunir em Viena. Petrobras ON (-3,92%) e Petrobras PN (-4,68%).

Já as ações da Vale, que ensaiaram uma recuperação mais cedo, terminaram com recuo de 0,26% (ON) e estável (PNA).

Do lado positivo, as ações da Gol subiram 7,61%, após as ações da companhia serem impulsionadas pela queda dos preços do petróleo, que se seguiu à decisão da Opep.

Nos EUA, as bolsas não funcionaram devido ao feriado de Ação de Graças. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.