Bovespa despenca quase 4% na abertura do pregão

O índice Bovespa da Bolsa de Valores de São Paulo abriu o pregão de hoje com forte baixa. Às 11h10, passados dez minutos iniciais de negociações, o Ibovespa registrava queda de 3,86%, a 44.425 pontos. É a Bolsa da China que está derrubando hoje todos os mercados acionários, desde a Ásia, passando pela Europa e atingindo os índices futuros em Nova York. A bolsa chinesa registrou hoje a maior perda em 10 anos e a quarta pior desde que foi criada, em 1990. O índice Xangai Composto caiu 8,9%, reduzindo para 14% os ganhos acumulados este ano e após ter computado uma impressionante alta de 130% no ano passado. Sem nenhuma notícia concreta, mas com muita especulação, os rumores que circularam no mercado versam sobre eventuais iniciativas do governo chinês para conter os investimentos no país, como aumento de juros e de impostos. Mas a verdade é que os mercados estavam devendo também uma boa realização de lucros, depois de terem atingido novos recordes de altas nas últimas semanas. Operadores ouvidos hoje de manhã pela Agência Estado relembraram as palavras de Alan Greenspan (ex-presidente do banco central americano) ontem, alertando para os "extraordinariamente baixos prêmios de risco". A realização de lucros domina também o mercado de metais básicos nesta manhã, com chumbo, níquel e cobre registrando quedas, o que afeta diretamente os mercados de ações, nos setores relacionados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.