Bovespa devolve lucro de olho no exterior

Após subir 1,54% na sexta-feira, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) hoje devolve lucros, auxiliada pelos mercados internacionais. Apesar de as bolsas da Ásia terem fechado em alta, o mercado de ações na Europa e em Nova York operam de lado - ora no negativo ora no positivo. Às 11h38, a Bovespa caía 0,45%, aos 43.953 pontos. Operadores e gestores acreditam que a bolsa paulista ficará de lado, observando as indicações dos mercados externos. A semana é delicada, pois traz números muito importantes, como os índices de inflação norte-americanos, vendas de varejo, pedidos de auxílio-desemprego e atividade nos Estados Unidos. O destaque positivo na Bovespa é Anhangüera Educacional, que dispara 18,22% em sua estréia, com volume forte de R$ 110 milhões. Em giro, a segunda colocada é Vale do Rio Doce, com R$ 79,5 milhões e em alta de 0,16%, após cair mais cedo. As ações da Vale tentam equilibrar dois fatores: o primeiro é de pressão, já que a companhia serve de veículo de saída do investidor estrangeiro em dias de baixas. O outro é positivo: mais uma vez, os preços dos metais estão batendo recordes no exterior. Petrobras não tem a mesma sorte. As ações preferenciais recuam 1,01%, acompanhando a perda do petróleo, de 1,90% no barril para abril, cotado em US$ 58,91, em Nova York.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.