Bovespa dispara 4,74% após comunicado do Fed

O temor com a inflação nos Estados Unidos arrefeceu hoje, e a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou a fechar com forte ganho. O Ibovespa, principal índice da Bolsa paulista, encerrou em alta de 4,74%, a 36.486 pontos, na pontuação máxima do dia, praticamente zerando as perdas do mês (em junho, o prejuízo acumulado está agora em apenas 0,12%). Na mínima, o índice permaneceu estável em relação ao fechamento, em 34.834 pontos. O volume negociado foi de R$ 2,36 bilhões. Depois de semanas de angústia, o mercado aguardou hoje com tranqüilidade o final da reunião do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), operando em alta desde o início dos negócios. A melhora de humor da Bolsa paulista, que na véspera subiu 1,33%, foi potencializada hoje pelo sentimento de que a economia norte-americana está crescendo sem pressões inflacionárias. Quando o Fed divulgou o comunicado sobre o aumento da taxa de juros dos EUA para 5,25% (já esperada pelo mercado), as Bolsas de Nova York renovaram as pontuações máximas do dia e a Bovespa acompanhou. Isso porque o comunicado sinalizou que o ciclo de aperto monetário norte-americano pode estar perto do fim.

Agencia Estado,

29 de junho de 2006 | 17h35

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.