Bovespa dispara e dólar cai após comunicado do Fed

O Ibovespa subia 1,87% para 35.487 pontos antes da divulgação do comunicado do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), que elevou a taxa dos Fed Funds para 5,25%, como previam os analistas. O Fed também informou que as expectativas de inflação estão contidas nos Estados Unidos e que a desaceleração econômica naquele país poderá limitar as pressões inflacionárias. O Banco Central dos EUA ainda disse, no documento, que responderá às mudanças de perspectivas sempre que necessário. O comunicado provocou uma disparada nas bolsas norte-americanas, com reflexo imediato nos mercados domésticos. Às 15h38, o Ibovespa registrava ganho de 2,75%, aos 35.794 pontos. Em Wall Street, as bolsas também chegaram às máximas do dia e depois recuaram ligeiramente. Por volta do mesmo horário, o Dow Jones operava em alta de 1,28%, o Nasdaq subia 1,39% e o S&P 500 avançava 1,33%. A decisão do Fed também influenciou no mercado de câmbio brasileiro. "O mercado gostou do comunicado do Fed e corre agora para ajustar posições e aproveitar os preços baixos no mercado de ações, após as quedas recentes", disse um operador. Às 15h40, o dólar comercial estava valendo R$ 2,18 (-1,80%) no mercado interbancário e o dólar negociado à vista no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros valia R$ 2,178 (-1,89%). No mercado de juros, o depósito interfinanceiro (DI) do contrato mais negociado na BM&F - DI com vencimento para janeiro de 2008 - estava a 15,29% em relação a 15,48% do fechamento de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.