Bovespa encerra com ganho de 1,54%, descolada de NY

A Bolsa de Valores de São Paulo registrou bom desempenho hoje, apesar do zero a zero no mercado de ações norte-americano. Apoiada nos bons fundamentos da economia brasileira e sem sofrer pressão das Bolsas de Nova York, o Ibovespa, principal índice da Bolsa paulista, subiu 1,54% e fechou com 44.133 pontos. Em Wall Street, o índice Dow Jones fechou em alta de 0,13%, o Nasdaq cedeu 0,01% e o S&P-500 ganhou 0,07%. Mais cedo, porém, as ações norte-americanas tinham boa valorização, reagindo aos dados do relatório de emprego (payroll) dos Estados Unidos. Os dados do mercado de mão-de-obra, os mais importantes indicadores desta semana, vieram dentro das estimativas dos analistas, o que foi o bastante para animar os cautelosos investidores. O payroll mostrou a abertura de 97 mil postos de trabalho em fevereiro nos EUA, número muito próximo aos 100 mil esperados pelos analistas. A taxa de desemprego teve uma pequena queda para 4,5% da força de trabalho, ante 4,6% no mês anterior. A não confirmação do pior cenário - abertura de poucos postos de trabalho, apontando fraqueza na maior economia do mundo - levou as Bolsas às máximas do dia. O Ibovespa chegou a subir 1,63%. Na parte da tarde, os índices nova-iorquinos reduziram as altas com os investidores vendendo as ações para embolsar os lucros do dia. Essa realização de lucros, contudo, não contagiou o Brasil. O País continuou a receber dinheiro estrangeiro, como mostraram o dólar comercial em baixa, para menos de R$ 2,10, e o risco Brasil em queda de 6 pontos, para 191 pontos-base. A queda do risco demonstra aumento da confiança externa no País. O volume negociado na Bolsa, porém, não foi alto, totalizando R$ 3,04 bilhões. A inflação também continua controlada: o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado hoje, apontou alta de 0,44% nos preços em fevereiro, o mesmo porcentual de janeiro, e já esperado pelos analistas. As ações preferenciais da Petrobras subiram 0,38%, para R$ 42,51, mesmo com a forte desvalorização do petróleo (de 2,58% em Nova York). As mineradoras também avançaram, na contramão dos preços das commodities: Vale PNA ganhou 1,79% e Usiminas PNA disparou 4,47%. As ações da Cosan, do setor de açúcar e álcool, fecharam cotadas a R$ 37,84, em baixa de 0,03%. São Martinho, que também integra o setor sucroalcooleiro, subiu 0,19% no dia, para R$ 26,55. Os governos do Brasil e dos Estados Unidos assinaram hoje, em São Paulo, memorando de entendimento para desenvolver o mercado internacional de etanol (álcool combustível).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.