Bovespa encerra em alta de 0,21%, após Fed e Copom

A Bovespa tentou uma realização de lucros esta manhã, acompanhando a queda dos índices das Bolsas de Nova York, mas o movimentou inverteu-se à tarde, tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil, indicando pouca disposição dos investidores para vender ações. A avaliação dos especialistas é de que estão dadas as condições para a Bovespa recuperar a marca histórica de 42 mil pontos. O Ibovespa, principal índice da Bolsa paulista, registrou ganho de 0,21%, para 39.644 pontos, após oscilar entre a mínima de -0,50% e a máxima de +0,71%. O volume negociado foi de R$ 2,30 bilhões. Depois do comunicado suave do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) ontem, os investidores enxergaram na ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada hoje cedo, sinais de que há espaço para outro corte de juro de 0,50 ponto porcentual na última reunião do ano, marcada para novembro. O comunicado sem surpresas da reunião do Fed ontem e a manutenção da taxa básica de juro nos EUA em 5,25%, com era largamente esperado, compõem um pano de fundo muito positivo para o mercado de ações brasileiro. Segundo analistas, o comunicado renovou o sentimento positivo com os países emergentes. Além disso, os indicadores econômicos divulgados hoje nos EUA confirmam que a economia se mantém aquecida. As encomendas de bens duráveis aumentaram 7,8% em setembro, acima da alta de 2% prevista. Ao mesmo tempo, o número de pedidos de auxílio-desemprego subiu 8 mil, abaixo da previsão de alta de 9 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.