Bovespa ensaia melhora e abre pregão em alta de 0,37%

A Bolsa de Valores de São Paulo, que ontem teve um queda expressiva (-1,89%) diante das incertezas com o futuro dos juros nos Estados Unidos, ensaia uma leve melhora na abertura do pregão hoje, mas sem mostrar muita firmeza. O índice Bovespa avançava 0,37% às 11h07, a 43.735 pontos. O mercado de ações brasileiro segue atento ao andamento dos negócios no exterior, na véspera de decisão do banco central americano sobre política monetária. A expectativa está muito mais relacionada ao conteúdo do comunicado do Comitê de Mercado Aberto (Fomc) americano do que a decisão propriamente dita sobre o nível dos juros. No mercado, a aposta majoritária é de que a taxa de juros básica do país ficará inalterada em 5,25% ao ano. Além dos EUA, os holofotes na Bolsa brasileira se voltam hoje para o leilão entre a siderúrgica brasileira CSN e a indiana Tata Steel para compra da Corus, marcado para as 14h30 (horário de Brasília), em Londres. Ontem, as ações ordinárias da CSN subiram 1,46%, na contramão do Ibovespa. Entre os analistas, a avaliação é de que se a CSN levar a Corus, as ações devem cair pelo fato de a empresa aumentar muito o seu endividamento. Se perder, o papel deve ter uma boa valorização. O resultado do leilão (que pode ter até nove rodadas de ofertas) pode demorar e ser conhecido apenas amanhã. As ações da Gol devem reagir ao balanço divulgado ontem, após o fechamento. A empresa apresentou lucro líquido consolidado em 2006 de R$ 684,5 milhões, um crescimento anual de 61,2%, com margem líquida de 18%. O lucro bruto foi de R$ 1,224 bilhão, mostrando expansão de 32,6% sobre 2005. Hoje à noite, após o fechamento do pregão da Bovespa, a Brasil Telecom Participações divulga resultado de 2006. A média das projeções dos analistas ouvidos pela Agência Estado aponta para lucro líquido de R$ 371,8 milhões, comparado ao prejuízo de R$ 29,6 milhões verificado no ano anterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.