Bovespa fecha com ganho de 1,34%, após PIB dos EUA

A Bovespa emplacou boa valorização hoje, refletindo o clima positivo das Bolsas de Nova York, que receberam bem o dado sobre o PIB norte-americano do segundo trimestre, e também puxada pelos papéis de siderúrgicas e bancos, já na expectativa pelos balanços que deverão ser divulgados na próxima semana. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), fechou em alta de 1,34%, aos 37.381,7 pontos, após oscilar entre a mínima de -0,13% e a máxima de +1,72%. O volume financeiro foi de R$ 1,87 bilhão. O mercado de ações comemorou a desaceleração mais forte do que a esperada da economia norte-americana no segundo trimestre, pois ela reforçou a aposta de pausa na trajetória de alta dos juros em agosto. O PIB anualizado cresceu apenas 2,5% no segundo trimestre (ante 5,6% no primeiro trimestre), abaixo das estimativas dos analistas, de expansão de 3,2%. Por aqui, a temporada de balanços é a grande influência. Os números referentes ao segundo trimestre dos bancos começarão a ser conhecidos a partir da terça-feira, dia 1º, com a divulgação do Itaú. O Bradesco segue o desfile, ao apresentar os dados no dia 7. As ações da primeira casa hoje subiram 1,22% e as da segunda avançaram 2,94%. Hoje a Unibanco Corretora divulgou reinício de cobertura para as duas instituições, com recomendação de compra. A expectativa do mercado é por balanços sólidos, em especial porque dados do Banco Central mostraram que a inadimplência continua sob controle. Siderúrgicas e mineradoras também subiram, acompanhando valorização para os papéis do setor nas bolsas européias. Além disso, dia 2 a Gerdau divulga o balanço e essas ações têm subido nesta semana já na expectativa pelos números.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.