Bovespa fecha com perda de 0,64%, influenciada por NY

O mercado de ações brasileiro seguiu colado às bolsas de Nova York, que repercutiram de forma negativa os indicadores divulgados hoje nos Estados Unidos. O principal deles, o núcleo do índice de preços de gastos com consumo (PCE), aumentou as dúvidas dos investidores quanto à decisão sobre a taxa básica de juros dos EUA a ser tomada pelo Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) na reunião da próxima semana, trazendo mais volatilidade aos negócios. O Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa de Valores de São Paulo, chegou a cair 1,46%, mas no fim do pregão diminuiu o ritmo de queda e fechou em -0,64%, aos 36.839 pontos, seguindo a piora internacional. Na máxima, o índice foi a apenas +0,02%. O volume financeiro ficou hoje em R$ 2,03 bilhões, recuperando-se parcialmente dos fracos volumes registrados nos últimos dias. A alta de 0,2% registrada pelo índice PCE em junho ficou dentro do previsto, mas elevou para 2,4% a inflação na comparação anual. Esse dado da variação anual reacendeu o receio de que ainda não será desta vez que o Federal Reserve (o banco central dos EUA) vai fazer a tão esperada pausa nos juros. Em Nova York, o índice Dow Jones registrou desvalorização de 0,53%, o Nasdaq recuou 1,41% e o S&P-500 fechou em queda de 0,45%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.