Bovespa fecha em alta de 0,65%, apesar do petróleo

Apesar da queda do petróleo e das commodities, a Bolsa registrou ganho hoje. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, subiu 0,65%, para 38.654 pontos. O índice oscilou entre a mínima estável e a máxima de +0,97%. O volume negociado ficou em R$ 2,36 bilhões. Os investidores locais teriam se animado hoje com a entrada de R$ 223,569 milhões de capital estrangeiro no pregão de 5 de outubro (dado divulgado na noite de ontem), um dia depois de a Bolsa ter subido 3,6%, porém acompanhada de um ingresso pequeno de recursos externos, apenas R$ 5,586 milhões. Também foi notada hoje a presença mais atuante de investidores estrangeiros no pregão. O início da temporada de balanços nos EUA, que será aberta hoje à noite pela Alcoa, e a definição do quadro eleitoral no Brasil são duas variáveis que devem influenciar as compras do investidores estrangeiros. Se a safra de balanços do terceiro trimestre nos EUA for boa, as bolsas lá devem continuar a trajetória de alta, o que favorece a vinda do capital externo para os países emergentes. Mas há quem acredite que os estrangeiros vão preferir esperar o segundo turno das eleições presidenciais para tomar uma decisão mais firme em relação ao Brasil. O que inibiu uma alta mais acentuada da Bolsa hoje foi a queda nas cotações do barril de petróleo, que fechou cotado a US$ 58,52, com perda de 2,40% o barril, além da queda nos metais. Mesmo assim, Petrobras e Companhia Vale do Rio Doce conseguiram fechar em alta. A ação preferencial da Petrobras teve valorização de 0,61% e a ação ordinária subiu 0,22%. No caso da Vale, a ação preferencial classe A terminou com acréscimo de 1,11%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.