Bovespa fecha em alta de 0,76%, com melhora em NY

Após uma abertura animada, quando chegou a subir 1,28%, tentando interromper uma seqüência de quatro sessões seguidas de baixa, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) perdeu força no início da tarde, recuando até -0,79%, acompanhando a piora externa. Porém, com o desempenho positivo das bolsas de Nova York, o Ibovespa também melhorou e fechou com ganho de 0,76%, aos 35.130,4 pontos. O volume financeiro foi de R$ 1,69 bilhão. O movimento de volatilidade do mercado doméstico refletiu na maior parte do tempo a oscilação de preços nas bolsas norte-americanas, onde os investidores operaram cautelosos ante a expectativa da divulgação do índice de preços ao consumidor amanhã e do pronunciamento do presidente do Federal Reserve (o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, também na quarta-feira. Porém, no fim do dia no mercado internacional prevaleceu o alívio trazido pelo núcleo do índice de preços ao produtor dos EUA, que subiu 0,2%, mostrando que a inflação está bem comportada, em linha com as expectativas dos analistas. Além disso, Wall Street foi beneficiada, principalmente pelos sólidos lucros anunciados pelas blue chips (empresas com ações de primeira linha) United Technologies (1,31%) e Coca-Cola (1,43%), além do recuo do petróleo para abaixo de US$ 74,00 o barril em Nova York.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.