Bovespa fecha em alta de 0,8%, apesar de queda em NY

O Ibovespa, o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), fechou em alta de 0,80%, aos 36.887,7 pontos. O volume financeiro foi de R$ 1,88 bilhão. A bolsa paulista chegou a subir 1,41%, mas não se sustentou, apesar de o dia de hoje ter sido de tranqüilidade do lado externo e de boas notícias internas. Segundo um operador, a Bovespa só não subiu mais por falta de fluxo financeiro. No mercado doméstico, a quinta-feira foi agitada com a divulgação da ata do Comitê de Política Monetária (Copom), que reforçou a aposta em corte menor de juro no final de agosto, e o anúncio feito pelo Tesouro da troca de dívida externa, sem falar nos indicadores econômicos de inflação, atividade e emprego. Mesmo assim, é o cenário externo que continua sendo determinante para a Bolsa, embora haja uma tentativa de descolamento de Nova York, ainda que parcial. Desde o começo desta semana, o Ibovespa vem mostrando melhora gradual, com a percepção de que está próximo do fim o ciclo de aperto monetário nos EUA. Considerando-se a máxima pontuação atingida hoje (37.112 pontos) e o fechamento de sexta-feira (35.510 pontos), a Bovespa acumula valorização de 4,5%, um sinal de redução do estresse. Um exemplo da melhora de humor é o fato de os investidores em Nova York terem recebido bem os indicadores econômicos divulgados hoje, apontando aquecimento da atividade acima do esperado. As encomendas de duráveis cresceram 3,1%, acima da previsão de 2%, e os pedidos de auxílio-desemprego caíram 7 mil, contrariando expectativa de crescimento de 6 mil pedidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.