Bovespa fecha em alta e volta aos 69 mil pontos

Ibovespa subiu 0,60%, aos 69.227,63 pontos, mas o volume negociado murchou, atingindo R$ 6,067 bilhões

Sueli Campo, da Agência Estado,

28 de setembro de 2010 | 17h50

A Bovespa deu prosseguimento aos ganhos da véspera e, pela primeira vez desde 23 de abril, conseguiu fôlego para fechar o pregão acima dos 69 mil pontos, respaldada pela melhora de humor das Bolsas em Nova York e também pela alta principalmente dos papéis ligados às commodities metálicas. O Ibovespa subiu 0,60%, aos 69.227,63 pontos, mas o volume negociado murchou, atingindo R$ 6,067 bilhões.

As ações de Petrobrás continuaram mostrando volatilidade - as preferenciais subiram 0,75% e as ordinárias cederam 0,56% -, ainda sem definir uma tendência, o que, segundo analistas, é efeito da megacapitalização. "Os investidores estão avaliando novas estratégias e posições para o papel, montando e desmontando carteiras", afirma um operador. O volume negociado por Petrobras diminuiu, mas ainda se mantém na casa do bilhão. Juntas, as duas ações movimentaram R$ 1,240 bilhão, correspondentes a 20% da Bolsa.

De acordo com fontes, ao contrário do dia anterior, hoje o efeito do rebalanceamento da carteira do MSCI - um dos mais importantes referenciais internacionais do mercado de ações - nos papéis da estatal foi bem menos sentido. A participação de Petrobrás no índice MSCI Brazil vai subir de 16% para 21% e no MSCI Latam, o peso passará de 11% para 14,5%.

Com a ajuda da alta dos metais no exterior, as ações da Vale seguem mostrando firmeza. A PNA avançou 0,66% e a ON, +0,77%. Entre as siderúrgicas, também prevaleceram as compras, o que lhes garantiu lugar de destaque no ranking do Ibovespa. Usiminas PNA subiu 2,67% e a ON se valorizou 1,77%, influenciadas pelo anúncio da véspera sobre o desdobramento de ações, na proporção de um novo papel para cada ação existente. Gerdau também apresentou bom desempenho, com a siderúrgica PN subindo 2,10% e a metalúrgica PN +2,38%. CSN ON subiu 2,53%.

Com o mercado doméstico terminando de digerir a oferta pública de ações da Petrobrás, a Bovespa voltou a ter aderência maior às Bolsas norte-americanas. A máxima do Ibovespa, alta de 0,89%, foi escalada no meio da tarde justamente quando Nova York acelerava os ganhos, após terem recuado depois da abertura, reagindo a novos dados desanimadores sobre a atividade. A melhora durante a tarde foi creditada ao informe de resultados da rede de drogarias Walgreen. O índice Dow Jones subiu 0,43%; S&P 500 avançou 0,49% e o Nasdaq teve ganho de 0,41%.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaIbovespaValePetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.