Bovespa fecha em queda de 1,08% puxada por Petrobras

Prejudicada por notícias envolvendo a Petrobras e também por indicadores norte-americanos, a Bolsa de Valores de São Paulo terminou o dia em queda. O Ibovespa, principal índice, perdeu 1,08%, para 36.153 pontos. Na mínima, o índice recuou 1,26%. Na máxima, subiu apenas 0,36%. O volume foi fraco, refletindo a cautela dos investidores com os dados que saem amanhã nos Estados Unidos. No total, foi negociado R$ 1,69 bilhão. A Bolsa teve uma manhã de altos e baixos, mas sem grandes oscilações, acompanhando o desempenho fraco do mercado norte-americano, que reagiu com preocupação aos dados divulgados hoje. O crescimento inesperado, de 0,2%, das vendas no varejo em agosto, e aumento de 0,8% dos preços de importados nos EUA, também referente a agosto, reavivaram a preocupação com a inflação e o receio de um novo aumento no juro. O temor aumentou as expectativas quanto ao índice de preços ao consumidor norte-americano de agosto, que será divulgado amanhã. O índice é o mais utilizado pelo banco central dos EUA para monitorar a inflação e assim definir a taxa básica de juros do país. A cautela, na véspera dessa divulgação, explicou em parte o movimento fraco na Bolsa paulista hoje. A proximidade do vencimento de opções sobre ações, na segunda-feira, também ajudou a frear um pouco os negócios na Bovespa. Mas a tendência de baixa do Ibovespa foi potencializada por notícias envolvendo a Petrobras. Além da queda dos preços do petróleo (em Nova York, o barril para outubro recuou 1,17%), a Petrobras ocupou grande espaço no noticiário do dia por causa da decisão do governo da Bolívia de transferir para a YPFB, estatal pretrolífera boliviana, o direito de exploração e comercialização da produção das refinarias estrangeiras, como da Petrobras, sem nenhum pagamento. No topo do ranking das maiores baixas do índice ficou a ação ordinária da Petrobras, que encerrou em queda de 3,45%. A segunda maior baixa do dia foi da ação preferencial da empresa, que perdeu 2,90%.

Agencia Estado,

14 de setembro de 2006 | 17h22

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.