Bovespa fecha em queda de 2,60%

Ibovespa caiu com mais vigor do que as bolsas dos Estados Unidos, influenciado por ações de Petrobrás e OGX

Claudia Violante, da Agência Estado,

27 de agosto de 2013 | 17h40

O clima de aversão ao risco que tomou conta dos ativos globais em razão de uma possível intervenção militar ocidental contra a Síria conferiu mais uma sessão de perdas à Bovespa.

O índice caiu com mais vigor do que as bolsas dos Estados Unidos, influenciado por ações como Petrobrás e OGX, mas conseguiu sustentar o patamar de 50 mil pontos.

O Índice Bovespa (Ibovespa) fechou com desvalorização de 2,60%, aos 50.091,55 pontos. Na mínima, registrou 50.018 pontos (-2,74%) e, na máxima, em 51.425 pontos (-0,01%). No mês, acumula ganho de 3,85% e, no ano, perda de 17,82%.

A BM&FBovespa em nenhum momento trabalhou em alta nesta sessão, mas o Ibovespa piorou no meio da tarde, em meio a renovadas informações sobre a questão síria. As bolsas dos EUA renovaram as mínimas pontuações no período e fecharam no vermelho.

O Dow Jones recuou 1,14%, aos 14.776,13 pontos, o S&P teve baixa de 1,59%, aos 1.630,48 pontos, e o Nasdaq perdeu 2,16%, aos 3.578,52 pontos.

Aqui, Petrobrás continuou em destaque de baixa, ainda por causa do impasse sobre um reajuste dos combustíveis e da alta do dólar. Petrobrás ON perdeu 3,33% e PN, 4,07%. OGX ON caiu 14,81% e liderou as baixas do Ibovespa nesta sessão. A empresa anunciou que desistiu da aquisição de nove dos 13 blocos ganhos pela companhia sem consórcio com outras empresas na 11.ª Rodada de Licitações promovida pela ANP.

Vale ON recuou 1,75% e Vale PNA, 1,46%. Apenas três ações fecharam em alta: Marfrig ON (+0,85%), Oi ON (+0,49%) e CPFL ON (+0,46%).

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.