Bovespa fecha estável à espera de vencimento de opções

A Bovespa operou por quase todo o dia no terreno negativo, dando prosseguimento à queda do dia anterior, com os investidores se preparando para o vencimento de opções sobre ações na segunda-feira. No fim do dia, com uma melhora das Bolsas de Nova York, o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, se aproximou da estabilidade e encerrou em queda de apenas 0,02%, aos 37.551 pontos. O índice oscilou entre a mínima de -1,01% e a máxima de +0,08%. O volume financeiro foi fraco, de R$ 1,73 bilhão. O comportamento volátil das bolsas norte-americanas, que pareceram ter perdido as forças após quatro pregões de valorização, contribuiu para uma dose maior de cautela hoje. Os negócios estiveram meio travados em Nova York durante todo o dia, mas os principais índices terminaram por registrar alta (Dow Jones subiu 0,41% e Nasdaq, 0,29%), o que favoreceu a recuperação da Bovespa no fim do dia. A apatia que perdurou no mercado externo durante o dia, contudo, não apaga a percepção de que o banco central dos EUA deve manter o juro inalterado em setembro. Mas enquanto não saírem novos dados sobre a atividade nos EUA em agosto, o mercado tende a ficar "de lado", reagindo a notícias e fatos pontuais. No mercado doméstico, os destaques positivos foram a ação preferencial da Petrobras, que encerrou na máxima, em alta de 1,22%, a R$ 44,89, e o papel preferencial da Telemar, que avançou 4,05%, para R$ 30,60. Os investidores tentaram sustentar os papéis acima dos preços para o exercício de segunda-feira - compra de Petrobras a R$ 44 e de Telemar a R$ 30. Entre as baixas do dia, a predominância foi de ações do setor elétrico. A ordinária da Light perdeu 3,30% e a da Eletrobrás, 2,38%. O leilão de linhas de transmissão marcado para hoje, no Rio de Janeiro, foi cancelado devido a duas liminares concedidas pela Justiça Federal de Brasília, impetradas pela Isolux Wat S.A na 8ª Vara Federal e pela Elecnor, na 3ª Vara Federal. As duas empresas questionaram o processo de revisão tarifária das linhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.