Bovespa fecha na máxima, em alta de 2,21%

O Ibovespa (principal índice da Bovespa, Bolsa de Valores de São Paulo) encerrou a quarta-feira na maior cotação do dia, com alta de 2,21%. O índice atingiu 37.491,5 pontos. O volume de negócios foi de R$ 2,17 bilhões. O dia seguinte à troca de Palocci por Mantega e à reunião do Comitê de Política Monetária do Fed, banco central dos EUA (Fomc) foi de recuperação na Bovespa, impulsionada por compras de investidores estrangeiros. A percepção de que a entrada de Guido Mantega no Ministério da Fazenda não significa a descontinuidade da política econômica devolveu um pouco de confiança aos investidores. Também pesou favoravelmente a decisão de subordinar o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, diretamente ao presidente Lula, assim como os demais ministros, o que reforçou a independência do Banco Central. O mercado também respira mais aliviado com a decisão do secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Bernard Appy, de permanecer no governo. A Companhia Vale do Rio Doce confirmou durante a tarde, oficialmente, que colocou na mesa de negociações com as siderúrgicas a proposta de reajuste de 24% para o preço de minério de ferro, conforme antecipado pela Agência Estado. Segundo fontes do mercado, as siderúrgicas ainda estão avaliando a proposta. As ações ordinárias da Vale subiram 2,29%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.