Bovespa fecha perdendo 0,89% por cenário externo

Mais uma vez atreladA às Bolsas dos EUA, cujos principais índices encerraram todos em queda hoje, a Índice da Bolsa de Valores de São Paulo terminou o dia com perda de 0,89%, aos 36.229 pontos.A Bovespa se manteve em total dependência do mercado internacional, onde os investidores perderam um pouco o Norte por causa da prolongada indefinição sobre a trajetória do juro norte-americano. Desde maio, o mercado mundial é movido pelas expectativas sobre juro e inflação nos EUA e deve continuar assim até, pelo menos, a reunião do Comitê de Mercado Aberto (Fomc) do dia 8 de agosto. Hoje foi mais um dia volátil na Bovespa, que oscilou de -1% a +0,53%, seguindo o humor externo. O volume financeiro somou R$ 1,73 bilhão.Nos EUA, enquanto o mercado espera a bateria de dados e eventos da próxima semana, entre os quais inflação ao consumidor e ata do Fomc, as expectativas se concentram em torno dos balanços das empresas. Depois de ter revertido ontem à tarde o sinal de baixa, hoje as bolsas em Nova York voltaram a refletir o receio de que os números das empresas sejam afetados pela desaceleração da atividade no país. A perda na Bovespa, contudo, foi menor que a dos mercados externos (o índice Dow Jones, por exemplo, caiu 1,09%), por causa da proximidade do vencimento de opções por aqui. Operadores comentaram que os investidores estariam "segurando" os principais ativos, como Petrobras PN, de olho no vencimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.