Bovespa gira R$ 3,12 bilhões com siderúrgicas

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) deu hoje mais uma demonstração de força e consistência. O índice de ações chegou perto dos 39 mil pontos, batendo recorde intraday. O volume financeiro superou os R$ 3 bilhões. O mercado foi puxado principalmente pelo setor siderúrgico, que refletiu a oferta hostil de compra da francesa Arcelor pela indiana Mittal. No final da tarde, a bolsa perdeu força e realizou lucros. O Índice Bovespa fechou em baixa de 0,51%, com 37.822 pontos. Operou entre a máxima de 38.804 pontos (+2,08%) e a mínima de 37.688 pontos (-0,86%). Com esse resultado, a bolsa passou a acumular alta de 13,05% em janeiro. O movimento financeiro disparou, ficando em R$ 3,120 bilhões. Depois de bater ontem o oitavo recorde do ano, era grande a possibilidade de a bolsa realizar lucros nesta sexta-feira. Acabou realizando, mas antes disso passou por momentos de grande euforia. O mercado iniciou os negócios hoje com uma informação quente nas mãos: a oferta hostil de 18,6 bilhões de euros pela compra da Arcelor feita pela sua concorrente Mittal. O anúncio da proposta provocou uma corrida às compras dos papéis de empresas do setor siderúrgico na Europa, que acabaram fechando em alta. Posteriormente, o mesmo fenômeno de compras de ações de siderúrgicas se repetiu na bolsa paulista. O Ibovespa superou de longe os 38 mil pontos e chegou perto dos 39 mil. O volume financeiro disparou. E os papéis do setor de siderurgia começaram a liderar tanto as altas quanto o ranking de volume financeiro. Mas no final da tarde, a bolsa acabou não resistindo à forte valorização acumulada em apenas um mês, que já encostava nos 14%. A realização veio, mas ainda com alguma timidez. Antes de se firmar no negativo para fechar em baixa, o Ibovespa ainda oscilou bastante entre alguns períodos em alta e outros em queda. Em Nova York, pouco antes do fechamento, o Nasdaq avançava 0,83%, o Dow Jones subia 0,99% e o S&P 500 operava em alta de 0,82%. O risco Brasil caía 5 pontos para 260 pontos base. No encerramento dos negócios, Petrobras PN liderava em giro financeiro (R$ 312 milhões). As preferenciais da estatal fecharam em baixa de 1,12%. A segunda ação em volume financeiro foi Arcelor ON (R$ 276 milhões), seguida por Vale PNA (R$ 230 milhões), Siderúrgica Nacional ON (R$ 172 milhões), Usiminas PNA (R$ 165 milhões) e Gerdau PN (R$ 131 milhões). As maiores altas do Ibovespa acabaram ficando, quase todas, com papéis de siderúrgicas. Entre os papéis que compõem o índice, as maiores altas foram Arcelor ON (+14,24%), Siderúrgica Nacional ON (+5,30%), Tim Par ON (+3,70%), Acesita PN (+3,08%), Gerdau Metalúrgica PN (+2,53%), Gerdau PN (+2,19%). As maiores baixas foram Cesp PN (-5,56%), Copel PNB (-5,27%) e Embratel Par PN (-4,22%).

Agencia Estado,

27 de janeiro de 2006 | 19h31

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.