Bovespa interrompe série de 3 quedas e sobe ajudada por bancos

Ações do setor bancário impulsionaram recuperação e a Bolsa fechou em alta de 0,63%, próxima do patamar dos 50 mil pontos

Clarissa Mangueira, O Estado de S. Paulo

11 Dezembro 2014 | 17h53

A Bovespa interrompeu três sessões seguidas de queda e fechou em alta, após um pregão marcado pela volatilidade. A recuperação da bolsa foi impulsionada principalmente pela alta das ações dos bancos e pelos ganhos dos índices acionários dos EUA.  

No fim do dia, o Ibovespa fechou em alta de 0,63%, aos 49.861,81 pontos. O volume de negócios totalizou R$ 6,366 bilhões. Na máxima, a Bolsa atingiu 49.946 pontos (+0,80%) e na mínima, 48.806 pontos (-1,49%). No ano, o Ibovespa acumula baixa de 3,19% e, no mês de dezembro, queda de 8,88%. 

Na primeira parte da sessão, a Bovespa oscilou perto da estabilidade, mas no fim da manhã se firmou em território negativo e bateu mínimas na sessão. A piora do mercado se deu em meio a um noticiário pessimista para o setor de commodities, que foi pressionado pela queda do petróleo e do minério de ferro no mercado internacional. Também pesou sobre o desempenho da Bolsa, o forte recuo das ações da Petrobrás e da Vale. 

Mesmo após a abertura em alta das bolsas de Nova York, reagindo às vendas do varejo no país, que subiram mais do que o esperado em novembro, a Bovespa manteve as perdas. Ao longo da tarde, a Bolsa começou a se recuperar, ajudada por um fluxo de compras e o fortalecimento das ações em Wall Street. 

A melhora das ações da Petrobrás, que fechou acima das mínimas do dia, e dos bancos forneceram suporte para a virada Bovespa para o azul. 

A estatal, que vem sendo afetada por denúncias de corrupção, divulga balanço não auditado amanhã. A oposição ao governo federal disse hoje que vai apresentar pedido de instalação de nova Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar casos de corrupção na Petrobrás no início da nova legislatura, em fevereiro. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) avaliou que o Congresso precisa retomar as apurações do escândalo com acompanhamento direto da "opinião pública" para impedir que uma nova comissão tenha o mesmo "fim melancólico" da CPMI que estava encarregada do caso.

Em entrevista coletiva em Curitiba, o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) encarregada da Operação Lava Jato, disse que ofereceu cinco acusações criminais contra 35 investigados do processo. Destes acusados, 22 são ligadas a empreiteiras, afirmou. "A Petrobras é vítima deste esquema", disse Dallagnol, ao lado do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O MPF está oferecendo denúncia por corrupção, formação de organização criminosa e lavagem de dinheiro. Dallagnol dividiu o esquema em três núcleos: empreiteiras, funcionários públicos e operadores financeiros, a quem chamou de "profissionais em lavagem de dinheiro".

No fechamento, Petrobrás ON (-0,69%) e Petrobrás PN (-0,09%). No setor financeiro: Bradesco PN (+2,40%), Banco do Brasil ON (+4,26%) e Itaú Unibanco (+1,13%). 

As ações da Vale terminaram em queda firme, ainda sobe o impacto do recuo dos preços internacionais do minério de ferro e de indicadores econômicos fracos divulgados na China recentemente. Vale ON (-2,81%) e Vale PNA (-2,94%).

Mais conteúdo sobre:
bovespapetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.