Bovespa opera em alta com Vale e melhora em NY

A Bolsa de Valores de São Paulo devolveu a queda inicial para renovar as máximas por volta das 15h20, em alta de 0,41% a 46.035 pontos. Mas, um tempo depois, o Ibovespa, principal índice, desacelerava os ganhos para 45.908, em alta de 0,13%. A Bovespa é beneficiada pela redução das perdas das Bolsas em Nova York e a alta das commodities metálicas, que fortalecem as ações da Vale do Rio Doce. De todo modo, o avanço também é limitado pelo recuo das ações da Petrobras, que não está seguindo a alta externa do petróleo, afirmaram os analistas consultados. Por volta das 15h50, o Ibovespa subia 0,20%, em 45.941 pontos. Em Nova York, o petróleo para abril estava em alta de 1,26% a US$ 59,57 por barril. Na Bovespa, Petrobras PN caía 0,44% a R$ 43,89, e Petrobras ON, -0,37% a R$ 48,62. Já Vale PNA chegou a subir 1,51% a R$ 65,02 e, no horário citado, desacelerava para R$ 64,64 (+0,92%). Em Nova York, os investidores realizaram lucros nas Bolsas de manhã, depois dos recordes de fechamento ontem dos últimos seis anos, e estimulados pelos números do índice de preços ao consumidor (CPI) norte-americano, que mostraram inflação acima da esperada, e a decisão do Banco Central do Japão de elevar a taxa de juro de 0,25% para 0,50% ao ano. O CPI subiu 0,2% no mês passado, após subir 0,4% em dezembro, informou o Departamento do Trabalho. O núcleo do CPI, que exclui os preços de alimentos e energia, subiu 0,3%, após subir 0,1% nos três meses anterior. Em Nova York, o índice Dow Jones operava em queda de 0,30%. O Nasdaq devolvia a queda e subia 0,09%. E o S&P 500 recuava 0,20%. O risco Brasil, por sua vez, caía 2 pontos para 178 pontos base, após oscilar entre 177 pontos-base e 181 pontos-base. O risco dos países emergentes caía 1 ponto para 167 pontos-base. Hoje, os investidores aguardam a divulgação da ata da última reunião do banco central dos EUA, que sai às 17 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.