Bovespa opera em forte alta impulsionada por estatais; dólar recua

Mercado segue influenciado pelo cenário eleitoral e agora reage ao apoio de Marina a Aécio; Vale e bancos também têm forte alta

Ana Luísa Westphalen, O Estado de S. Paulo

13 de outubro de 2014 | 11h02

Atualizado às 13h07

Conduzida pelos papéis do chamado "kit eleição", a Bovespa opera em forte alta nesta segunda-feira, após a terceira colocada na disputa à Presidência, Marina Silva, finalmente ter se posicionado em direção a Aécio Neves (PSDB) neste fim de semana. O tucano também recebeu apoio da família Campos. No câmbio, o dólar recua 1% e opera cotado abaixo do nível de R$ 2,40.

Às 12h22, o Ibovespa subia 4,34%. Diante da perspectiva de uma mudança na gestão das companhias ligadas ao governo, Petrobrás ON e PN disparam 9,27% e 9,84%, respectivamente, atingindo a máxima do dia. Banco do Brasil ON avança 7,85% e Eletrobras PNB tem ganho de 7,23%. Mas o bom humor é generalizado. No setor financeiro, Itaú Unibanco ON, principal blue chip do índice, sobe 7,22%.

O exterior positivo também dá fôlego à Bovespa, com os mercados internacionais embalados pelos números da balança comercial chinesa. Apesar de ter mostrado um superávit abaixo do esperado, o gigante asiático registrou um aumento acima do previsto das importações e das exportações. 

Por aqui, a boa notícia se reflete na ações da Vale, que exibem ganhos de 4,72% (ON) e de 4,05% (PNA). Na esteira, o setor siderúrgico sobe em bloco, com CSN ON em alta de 3,33%, seguida por Usiminas PNA (1,62%) e Gerdau PN (+1,36%).

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespadólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.