Bovespa oscila após dados dos EUA

Índice de desemprego nos Estados Unidos caiu para 6,6% em janeiro, mas criação de vagas foi fraca pelo segundo mês consecutivo

Fernando Travaglini, Agência Estado

07 de fevereiro de 2014 | 11h09

Atualizado às 13h20

SÃO PAULO - Na abertura dos negócios, o clima de expectativa pela divulgação dos dados do mercado de trabalho nos Estados Unidos prevalecia, mas já com viés de alta. Após a diculgação, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) seguiu Nova York e acelerou a alta, chegando a subir mais de 1%, na máxima do dia. Às 13h20, no entanto, o Ibovespa operava em queda de 0,08%, aos 47.698 pontos.

Em Nova York, Dow Jones também reduziu os ganhos e subia 0,14%, enquanto S&P 500 tinha alta de 0,33% e Nasdaq apresentava valorização de 0,46%.

No mercado de câmbio, o dólar abriu estável e passou a subir já nos primeiros negócios do dia. No mesmo horário, a moeda tinha valorização de 0,13%, cotada a R$ 2,386.

O índice de desemprego nos Estados Unidos caiu para 6,6% em janeiro, contra 6,7% em dezembro. No primeiro mês do ano, a economia norte-americana criou 113 mil empregos. Apesar de o índice estar em queda, trata-se do segundo mês consecutivo de fraca criação de postos.

No Brasil, destaque para o leilão da linha de transmissão de Belo Monte. O consórcio IE Belo Monte, formado pela chinesa State Grid (51% de participação) e pelas brasileiras Eletronorte (24,5%) e Furnas (24,5%), controladas pela Eletrobras, foi o vencedor do certame, realizado nesta sexta-feira pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O grupo ganhou a disputa com uma oferta de Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 434,647 milhões, um deságio de 38% em relação ao valor máximo estabelecido pela Aneel, de R$ 701 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaempregoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.