Bovespa oscila, após discurso de autoridade do Fed

O Ibovespa (o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo) operou em alta na manhã desta quarta-feira, chegando a subir 1,91%, com 33.474 pontos, na máxima do dia. Mas depois das 14 horas, passou a cair e a operar de forma volátil. A mudança de humor na bolsa paulista deveu-se, principalmente, às declarações do presidente do Federal Reserve Bank de Dallas, Richard Fisher. De acordo com ele, as expectativas inflacionários subiram para níveis inaceitáveis e algumas escalas de pressões de preços estão também elevadas. Ao se referir à última pesquisa de sentimento do consumidor da Universidade de Michigan, que mostrou um aumento de 3,2% na inflação anual esperada, Fisher disse que "ao longo de uma década, 3,2% ao ano reduziria o valor do dólar em US$ 0,73. Para mim, isso é mais do que desconfortável. É inaceitável", afirmou. Após as declarações de Fisher, o Ibovespa atingiu a mínima do dia, com queda de 2,41%, somando 32.057 pontos. Nesse momento, as bolsas em Nova York também operavam em baixa. Às 15h22, no entanto, a bolsa paulista reduzia as perdas, registrando queda de 1,34%, com 32.407 pontos. Em Wall Street, as bolsas retomaram o terreno positivo. O Dow Jones subia naquele horário 0,59% e o Nasdaq avançava 0,23%. No câmbio, o dólar comercial recuava 0,61%, a R$ 2,283. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) a moeda recuava 0,61%, a R$ 2,283.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.