Bovespa permanece em baixa; dólar vale R$ 2,185

A Bolsa de Valores de São Paulo opera em queda acentuada durante toda a manhã, sem que investidores consigam encontrar explicação a não ser o dia desfavorável nas Bolsas de Nova York, que também operam em baixa. O assunto do dia foi uma grande operação de venda de ações da Cosan, que acaba por distorcer o volume de negócios. Às 12h55, o índice Ibovespa caía 1,11%a 35.701 pontos. O giro financeiro soma R$ 912 milhões até este horário e projeta R$ 1,9 bilhão em negócios até o final da tarde. A projeção está distorcida por conta dos R$ 237 milhões negociados com as ações ordinárias da Cosan. Segundo operadores, o Credit Suisse possuía um grande lote para a venda e saiu procurando no mercado opções para viabilizar a operação. Depois de Cosan, aparecem entre os principais giros: Petrobras PN, com R$ 100 milhões e queda de 0,52% e Vale PNA, com R$ 47 milhões e perda de 1,57%. Dentre os papéis do Ibovespa, havia apenas 3 altas: Eletropaulo PN + 1,6%; Sadia PN + 0,19% e Embraer on + 0,15%. Puxavam as quedas: Eletrobras ON -3,62%; Braskem PNA -3,52% e CTEEP PN -3,24%. No mercado de câmbio, o dólar comercial era negociado a R$ 2,185 às 13 horas, alta de 0,23% no dia. A taxa máxima verificada no câmbio à vista até este horário foi de R$ 2,192 por dólar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.