Bovespa recua 0,35% aos 70.320,13 pontos

Na máxima, o Ibovespa subiu 0,98%, de volta aos 71 mil pontos, e, na mínima, perdeu 0,48%, aos 70.233,67 pontos

Rosangela Dolis, da Agência Estado,

28 de outubro de 2010 | 18h32

Com a intensificação de realizações de lucro em cima de ações da Vale e de bancos à tarde, após valorizações recentes, a Bolsa brasileira não conseguiu sustentar a alta da manhã e fechou em baixa de 0,35%, aos 70.320,13 pontos. A Bovespa acabou contagiada pela paradeira em Nova York, onde as bolsas fecharam com sinais divergentes, porém perto da estabilidade, porque a cautela com a reunião do Federal Reserve (Fed, banco central americano) na próxima semana tomou conta dos negócios e minimizou o impacto de balanços corporativos positivos sentido mais cedo.

Prevaleceram entre os investidores as preocupações com o anúncio de afrouxamento quantitativo que, espera-se, o Federal Reserve fará na quarta-feira. O provável anúncio da medida de estímulo ao crescimento econômico agrada ao mercado; o que incomoda é a incerteza sobre o tamanho da ajuda. Desde ontem os investidores avaliam que ela poderá ser insuficiente.

Na máxima, o Ibovespa subiu 0,98%, de volta aos 71 mil pontos, e, na mínima, perdeu 0,48%, aos 70.233,67 pontos. O giro financeiro foi mais fraco do que o da véspera, de R$ 6,759 bilhões (R$ 7,128 bilhões ontem).

Os balanços do terceiro trimestre divulgados aqui entre ontem à noite e esta manhã foram também condutores dos negócios na Bovespa. Das empresas que apresentaram resultados, a Vale, que vinha de altas recentes na antecipação do excelente resultado trimestral confirmado ontem à noite, foi alvo de realizações de lucro, enquanto Usiminas, que vinha de forte desvalorização, chamou compras e contagiou outros papéis do setor. Na ponta oposta, os resultados de Redecard, Cielo (prévia) e Santander não agradaram.

As ações da Vale fecharam em queda de 1,92%, ON, e 1,68% PNA. A Usiminas teve suas ações em alta de 1,96% (ON) e 4,54% (PNA). Já as ações da Redecard caíram 5,70% e as da Cielo, 1,68%, enquanto as units do Santander recuaram 1,53%. Entre os bancos, Bradesco PN caiu 1,16%, Banco do Brasil ON, 1,48%, e Itaú Unibanco, 0,96%.

As ações da Petrobrás fecharam em alta pelo quinto pregão seguido, com declarações da Agência Nacional do Petróleo (ANP) confirmando hoje em parte boatos de ontem de que a empresa estaria para anunciar a descoberta de um megapoço. A diretora da agência Magda Chambriard confirmou perfuração no poço de Libra que está sendo conduzida pela ANP em parceria com a Petrobrás no pré-sal da Bacia de Santos. O presidente da ANP, Haroldo Lima, disse que o anúncio oficial das reservas em Libra deverá ser feito amanhã. Segundo ele, a agência trabalha com o cenário moderado estipulado pela consultoria Gaffney Cline Associates (GCA), que estima reserva de 7,9 bilhões de barris, mas a GCA, em um cenário otimista, eleva o volume para 16 bilhões de barris. Petrobrás ON subiu 0,03% e a PN, 0,27%.

Em Nova York, o Dow Jones encerrou em queda de 0,11%, enquanto o Nasdaq subiu 0,16% e o S&P500, 0,11%.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaIbovespaPetrobrásVale

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.