Bovespa recua 1,47% e passa a acumular perdas em dezembro

Bolsa paulista encerrou o dia aos 56.646,87 pontos, perde 0,40% no mês e 18,26% no ano 

Cláudia Violante, da Agência Estado,

14 de dezembro de 2011 | 18h27

Apesar do vencimento de índice futuro e opções sobre índice, a volatilidade do Ibovespa no período vespertino foi menor do que o esperado. A Bolsa paulista trabalhou ''colada'' ao comportamento de Wall Street, mas no fechamento aprofundou as perdas e deixou o patamar de 57 mil pontos, onde se segurou em grande parte da sessão.

A Bolsa doméstica encerrou o dia com queda de 1,47%, aos 56.646,87 pontos, na mínima pontuação do dia. Na máxima, ficou estável, aos 57.495 pontos. Com o resultado de hoje, passou a acumular no mês, pela primeira vez em dezembro, queda, de 0,40%. No ano, a perda acumulada é de 18,26%.

Na avaliação de Luís Gustavo Pereira, da equipe de análise da Um Investimentos, o vencimento acabou ficando em segundo plano e o Ibovespa ''preferiu'' seguir Nova York. Com a queda das commodities metálicas e do petróleo no exterior, além do exercício hoje e de opções sobre ações na segunda-feira, as blue chips terminaram em queda e ajudaram a segurar a Bolsa no vermelho. Petrobras ON recuou 3,32%, Petrobras PN perdeu 2,68%, Vale ON fechou com -1,58% e Vale PNA, com -1,45%.

Mais cedo, as bolsas tinham perdas mais acentuadas, influenciadas pela situação europeia. Lá, as ações tiveram recuo maior, depois que o Tesouro da Itália vendeu bônus de cinco anos com o maior yield desde a implementação do euro para vencimentos de cinco anos e após a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, reiterar sua rejeição à implementação de bônus comuns da zona do euro.

Tudo o que sabemos sobre:
bovespaPetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.