Bovespa reduz ritmo de queda

Às 12h54, o principal índice da Bovespa registrava queda de 0,11%, aos 67.502 pontos

Luciana Collet, da Agência Estado ,

17 de fevereiro de 2011 | 13h18

A Bovespa iniciou o pregão desta quinta-feira de lado, com diversos papéis realizando os ganhos da sessão anterior. Entre as quedas, os destaques são, mais uma vez, os papéis ON da Usiminas, que seguem no movimento de correção após ter registrado forte valorização diante da expectativa de mudança no bloco de controle da siderúrgica. Já as altas do Ibovespa são puxadas pelas credenciadoras de cartões Cielo e Redecard, que mantém a trajetória observada ontem de redução das perdas acumuladas no ano.

Às 12h54, o principal índice da Bovespa registrava queda de 0,11%, aos 67.502 pontos, após ter alcançado a máxima de 67.876 pontos (+0,44%) e a mínima de 67.107 pontos (-0,70%). O giro financeiro era de R$ 1,47 bilhão, com projeção para somar R$ 5,62 bilhões ao final do dia. Em Nova York, o Dow Jones cedia 0,25% e o S&P 500 caía 0,24%.

Usiminas ON cedia 2,89%, encabeçando a lista das principais quedas do Ibovespa, enquanto Usiminas PNA avançava 0,10%. Segundo operadores, investidores realizam os ganhos acumulados nas ações ordinárias, que chegaram a superar os 30% neste início de ano. Os papéis reagiram à possibilidade de a CSN buscar elevar sua participação na companhia e à sua potencial entrada no bloco de controle, o que até agora não se concretizou. Diante da forte valorização das ON, o spread com a PNA alcançou os 50% e agora o mercado busca corrigir a distorção. Em janeiro de 2011, o spread era de 15%.

Entre as demais siderúrgicas, CSN ON cedia 1,04% e Gerdau PN avançava 0,17%.

Ainda nas maiores quedas do Ibovespa figuravam Brasil Ecodiesel ON (-2,33%); TIM ON (-1,97%); Marfrig ON (-1,89%); Oi (TNLP) ON (-1,69%); Cesp PNB (-1,49%); Brookfield ON (-1,48%) e TAM PN (-1,47%).

Os papéis de bancos também recuavam após registrarem valorização ontem. A ação ON do Banco do Brasil, que liderou as altas no pregão de ontem, chegou a buscar um nova valorização hoje, mas o movimento não se sustentou, mesmo depois de ter registrado resultados considerados positivos.

O banco anunciou na manhã de hoje que encerrou o ano de 2010 com lucro líquido de R$ 11,703 bilhões, o que representa aumento de 15,3% sobre os R$ 10,148 bilhões de 2009. No quarto trimestre, o lucro líquido soma R$ 4,002 bilhões, queda de 3,68% sobre os R$ 4,155 bilhões anotados em igual período de 2009. Os resultados são apresentados no padrão brasileiro de contabilidade. "As ações subiram muito forte na expectativa desse balanço e agora realizam os ganhos", disse um analista.

Papéis dos demais bancos que fazem parte do Ibovespa também caem: Bradesco PN (-0,19%); units do Santander (-0,49%); Itaú Unibanco PN (-0,11%), enquanto a holding deste banco, Itaúsa PN, valorizava-se 0,16%.

Outro papel que recuava depois de divulgar balanço era Lojas Renner ON (-0,28%). A companhia registrou crescimento de 22,8% no lucro líquido do quarto trimestre de 2010, para R$ 123,2 milhões. O Ebitda ficou em R$ 178,3 milhões no quarto trimestre, alta de 14,2% ante igual período do ano anterior. A margem Ebitda ficou em 21,6%, recuo de 0,3 ponto porcentual na comparação com o quatro trimestre de 2009.

Em relatório, a Lerosa Investimentos considerou que, passada a votação do salário mínimo no Congresso, o mercado voltaria a se preocupar com o detalhamento dos cortes orçamentários propostos pelo governo. "Até que essas informações sejam divulgadas, o mercado deve diminuir seu ânimo podendo causar realização dos ganhos obtidos no último pregão".

Cielo ON ganhava 4,67%, liderando as altas do Ibovespa, seguido por Redecard (+3,96%). Segundo operadores, os papéis se recuperam das fortes quedas acumuladas.

Também na lista figuravam os papéis da BM&FBovespa (+1,20%), diminuindo as perdas acumuladas após o anúncio de estudo para a criação de uma bolsa concorrente no País. Segundo o jornal Financial Times, a BM&FBovespa deve fechar um acordo com a Bolsa de Xangai. O objetivo é permitir que ações brasileiras sejam listadas na China.

Subiam também BRF Brasil Foods ON (+1,08%); Light ON (+0,90%); Telesp PN (+0,87%); CPFL ON (+0,78%) e Sabesp ON (+0,75%).

As blue chips Vale e Petrobrás apresentavam movimentos contrários: enquanto Petrobrás apresentava leve valorização, de 0,26% na PN, Vale ONA cedia 0,20%.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaBovespaValePetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.