Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bovespa reverte, sobe 0,67% e retoma 48 mil pontos

Após cair mais de 4% na abertura, o Ibovespa virou no final e fechou na máxima do dia, aos 48.214 pontos

Claudia Violante, da Agência Estado,

20 de junho de 2013 | 18h13

Depois de uma abertura difícil, em que uma movimentação intensa carregou o Ibovespa para mais de 4% de queda em menos de uma hora de negociação, a Bolsa brasileira conseguiu se recuperar e fechar no azul nesta quinta-feira, 21. Compras de ocasião, principalmente por investidores estrangeiros, içaram o índice de volta aos 48 mil pontos, em um pregão marcado por alto volume de negócios.

O Ibovespa terminou com valorização de 0,67%, aos 48.214,43 pontos, na máxima do dia. Na mínima, registrou 45.930 pontos (-4,10%). No mês, acumula queda de 9,89% e, no ano, de 20,90%. O giro financeiro totalizou R$ 12,18 bilhões, o maior do mês excluindo sessões excepcionais (como as em que ocorrem vencimento de índice ou de opções). Os dados são preliminares.

Logo na abertura, a aversão a risco global contaminou o Ibovespa, que foi renovando as mínimas até cair abaixo dos 46 mil pontos. A queda foi agravada por dados fracos sobre a economia chinesa e mistos sobre os Estados Unidos.

Como a Bolsa está barata em dólar para os aplicadores estrangeiros, quando o índice bateu em 45 mil pontos, eles foram às compras. Mas só depois do fechamento em Wall Street é que o Ibovespa voltou ao terreno positivo.

No exterior, além do Federal Reserve (o BC dos EUA), que na véspera estipulou um cronograma para frear sua oferta de dinheiro barato e abundante, o fraco índice chinês de atividade industrial dos gerentes de compras medido pelo HSBC (PMI), que caiu de 49,2 em maio para 48,3 em junho, segundo leitura preliminar, pressionou os negócios. Trata-se do nível mais baixo em nove meses.

Nos EUA, outros indicadores ruins foram o PMI (caiu a 52,2 em junho, de 52,3 em maio) e o número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego (subiu 18 mil, para 354 mil, ante previsão de 340 mil solicitações).

O Dow Jones fechou em baixa de 2,34%, aos 14.758,32 pontos; o S&P recuou 2,50%, aos 1.588,19 pontos; e o Nasdaq finalizou com perda de 2,28%, aos 3.364,63 pontos.

Dentre as blue chips, Petrobras ON ficou estável e a PN caiu 1,05%. Em contrapartida, Vale ON subiu 0,78% e a PNA avançou 0,49%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.