Bovespa se ajusta à alta dos juros dos títulos dos EUA

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em queda e cedia 1,05% a 37.951 pontos, às 11h07, indicando que o ajuste de posições da véspera em razão da alta dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos (Treasuries) prossegue. O juro do papel de 10 anos se mantém pressionado esta manhã e chegou a 4,796% logo cedo. O maior receio dos investidores é que esse ajuste para cima do juro nos EUA prejudique a entrada de recursos estrangeiros na Bovespa, cujo saldo foi negativo em fevereiro e continua mostrando fraqueza nesse início de mês. Na quinta-feira passada, a bolsa paulista registrou saída de R$ 24,453 milhões em capital externo. As principais bolsas do mundo estão reagindo negativamente à elevação do juro dos títulos do Tesouro norte-americano. Em Wall Street, o sinal vermelho continua aceso. E, para piorar, a Texas Instruments, reduziu ontem, após o fechamento, suas projeções para os resultados deste primeiro trimestre. Na sexta-feira, a Intel também reviu sua projeção de lucros para baixo para esse trimestre. Na Bovespa, o destaque é o balanço da Vale do Rio Doce, que não decepcionou e ficou dentro das previsões dos analistas ouvidos pela Agência Estado. A mineradora teve um lucro recorde de R$ 10,443 bilhões em 2005, 61,6% a mais do que em 2004. Hoje cedo, a Itaúsa anunciou lucro líquido de R$ 2,297 bilhões em 2005, alta de 17% em relação ao ano anterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.