Bovespa se mantém em campo positivo

Às 11h59, o Ibovespa registrava alta de 0,78% aos 65.927 pontos

Beth Moreira, da Agência Estado ,

19 de abril de 2011 | 12h11

A Bovespa opera em alta nesta terça-feira, em movimento técnico de recuperação após a queda de 1,90% da véspera. As ordens de compra são estimuladas, principalmente, por investidores à procura de oportunidades. As empresas do grupo EBX, mais afetadas na sessão do dia anterior, hoje puxam as altas, lideradas por OGX. ALL é destaque de baixa.

Às 11h59, o Ibovespa registrava alta de 0,78% aos 65.927 pontos, após ter alcançado a máxima de 66.191 pontos (+1,19%). O giro financeiro era de R$ 1,69 bilhão, com projeção para alcançar R$ 6,23 bilhões no encerramento do dia. Em Nova York, o Dow Jones operava em alta de 0,14%, enquanto o S&P subia 0,09%.

OGX sobe 4,12% e encabeça a lista de maiores altas do Ibovespa, mais uma vez com giro forte, de R$ 320,4 milhões, o equivalente a pouco mais de 20% do giro até o momento. Para o chefe da mesa de operações da HSBC Corretora, Frederico Soares, é normal ocorrer um ajuste após a queda de mais de 17% registrada ontem. "Passando essa turbulência, a perspectiva é de que o papel volte para o patamar dos R$ 19,00", avalia.

O profissional alerta que, apesar do rebaixamento do papel por vários bancos e corretoras ontem, o menor preço-alvo para a ação é de R$ 21,00, o que implica em potencial de valorização em torno de 25%.

Outras empresas do grupo, que também sofreram na véspera, hoje se recuperam. MMX sobe 3,15%, entre as maiores altas do Ibovespa, enquanto LLX avança 1,48%. A exceção fica por conta da PortX, que opera com perdas de 0,80%.

Ecodiesel

Brasil Ecodiesel sobe 2,38%, após a empresa ter anunciado fusão com a produtora de soja e algodão Vanguarda. O negócio, feito por meio da empresa de investimentos Veremonte, integra os planos do investidor Enrique Bañuelos de construir uma gigante do agronegócio brasileiro, nos moldes do que ele já fez no mercado imobiliário. O acordo envolveu R$ 600 milhões e troca de ações. Com 230 mil hectares, 150 colheitadeiras próprias e três aviões, a Vanguarda foi oferecida ao investidor espanhol por R$ 1,2 bilhão.

Também figuram na lista de maiores altas do Ibovespa Hypermarcas (+2,25%), Duratex (+2,12%) e Gafisa (+2,04%).

Vale e Petrobrás

Entre as blue chips, Vale PNA sobe 0,66% e ON avança 0,38%. As siderúrgicas operam com sinais divergentes, com CSN (+1,04%), Usiminas PNA (+0,82%), Usiminas ON (+1,94%), esta entre as maiores altas do Ibovespa, Gerdau (-0,38%) e Gerdau Metalúrgica (-0,93%).

Petrobrás PN sobe 1,61% e ON opera com ganhos de 1,86%, esta entre as maiores altas do Ibovespa. Hoje a empresa informou que concluiu negociações com a estatal chilena Empresa Nacional de Petróleo (Enap) para a venda da primeira carga de petróleo produzida no pré-sal destinada à exportação.

De acordo com a Petrobrás, foram vendidos 1 milhão de barris de petróleo extraídos do campo de Lula, com embarque previsto para meados do próximo mês. A carga será entregue em Quintero e San Vicente, no Chile.

No setor financeiro Itaú Unibanco (+1,39%), Bradesco (+0,89%), Banco do Brasil (+1,29%) e Santander (+0,81).

ALL

ALL recua 0,69%, entre as principais quedas do Ibovespa, após a companhia ter divulgado mais cedo seus dados preliminares do primeiro trimestre de 2011 abaixo do esperado pelo mercado.

A empresa informou que encerrou os primeiros três meses do ano com crescimento de 4,1% nos volumes movimentados no Brasil, totalizando 8.591 milhões de toneladas por quilômetro útil (TKU). Os dados são preliminares e não foram auditados.

Na lista de baixas figuram ainda Vivo PN (-1,46%), B2W (-1,19%), Copel (-0,83%), Lojas Renner (-0,74%) e Braskem PNA (-0,69%).

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaBovespaPetrobrásValeOGX

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.