Bovespa se mantém em terreno negativo

Às 15h25, o Ibovespa registrava queda de 0,81%, aos 69.491 pontos

Vanessa Stecanella, da Agência Estado ,

20 de janeiro de 2011 | 13h21

A Bovespa manteve a queda durante a tarde desta quinta-feira, 20, tendo como pano de fundo aumento de juros no Brasil e perspectiva de novas medidas de aperto monetário na China. Bancos se destacam entre as quedas mais expressivas e Petrobrás, que ensaiou alta logo após a abertura, há pouco também operava em baixa.

Às 15h25, o Ibovespa registrava queda de 0,81%, aos 69.491 pontos. Na mínima, atingiu 69.177 pontos (-1,26%) e, na máxima, alcançou 70.083 (0,04%). O giro financeiro somava R$ 4,59 bilhões, com previsão para alcançar R$ 8,92 bilhões no fechamento. Em Wall Street, o Dow Jones perdia 0,27% e o S&P caía 0,41%.

Banco do Brasil ON caía 1,32% e figurava entre as baixas mais expressivas do Ibovespa, seguida por outros bancos.

As ações do setor bancário refletem hoje um temor de que haja redução na carteira de crédito para pessoa física, depois que o presidente do BB, Aldemir Bendine, disse que diante das medidas de aperto monetário que vêm sendo implementadas pelo Banco Central, a instituição reduziu de 25% para 22% sua projeção de crescimento do crédito para a pessoa física este ano. Apesar disso, segundo ele, o BB segue trabalhando com uma expansão total do crédito de 17% a 20% em 2011.

"O fato do banco que tem a maior carteira pessoa física reduzir suas projeções faz o mercado especular que as outras instituições poderão fazer o mesmo", destacou Rafael Dornaus, operador de renda variável da Hencorp Commcor.

Além disso, pesa sobre o setor a leitura de que o Banco Central está disposto a lançar mão de novas medidas para conter a inflação e a valorização do dólar frente ao real. A expectativa cresceu, ontem, após o Comitê de Política Monetária (Copom) elevar a Selic para 11,25% ao ano e afirmar, em comunicado, que a decisão unânime é apenas o "início do processo de ajuste da taxa básica".

Blue Chips

Vale PNA operava em baixa de 1,56% e a ação ON, -2,05%. Bradespar, importante acionista da mineradora, recuava 1,86%. MMX Mineração perdia 1,43%. O setor de mineração reage à cautela dos investidores com relação ao temor de que a China lance novas medidas de aperto monetário para frear o ritmo de crescimento da economia chinesa. "Investidores estão preocupados com a dose de alta de juros que ainda virá pela frente ou medidas até mesmo antes do ano novo chinês, no início de fevereiro. O cenário poderia provocar uma redução da demanda pelas commodities", destaca um profissional.

Petrobrás PN recuava 0,55% e a ação ON cedia 0,76%. Operadores dizem que o papel tem destoado do mercado por conta do preço atrativo e do interesse dos estrangeiros. Instantes atrás, BTG Pactual e Link lideravam as compras enquanto as vendas eram puxadas pela Icap Brasil .

OGX Petróleo perdia 2,39% e figurava entre as maiores quedas do Ibovespa.

(Texto atualizado às 15h25)

Tudo o que sabemos sobre:
BolsaBovespaValePetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.