Bovespa se mantém em terreno positivo

Às 12h30, o Ibovespa subia 0,46%, aos 70.932 pontos

Vanessa Stecanella, da Agência Estado,

18 de janeiro de 2011 | 13h19

A Bovespa opera no campo positivo desde a abertura do negócios e chegou até os 71 mil pontos na primeira hora. Depois de um pregão morno devido a ausência das bolsas em Wall Street, fechadas por conta do feriado de Martin Luther King Jr., ontem, os investidores têm no radar hoje mais um dia de reunião dos ministros das finanças na Europa, além da temporada de balanços e a agenda econômica nos EUA. Por aqui, destaque fica por conta de dados sobre pedidos e entregas da Embraer, que fazem o papel subir na casa de 5%.

Às 12h30, o Ibovespa subia 0,46%, aos 70.932 pontos. Na máxima, atingiu 71.094 (+0,69%) e, na mínima, alcançou 70.612 pontos (0,00%). O giro financeiro somava R$ 1,32 bilhão, com previsão para alcançar R$ 6,31 bilhões no fechamento. No mesmo momento, as bolsas norte-americanas operavam com sinais mistos. Dow Jones avançava 0,15% e S&P, -0,05%.

Embraer ON subia 5,02%, liderando as maiores altas do índice. Operadores dizem que o papel reage à apresentação de dados operacionais consistentes, embora não sejam extraordinários. De acordo com a companhia, foram entregues 246 jatos no ano passado, número semelhante ao registrado em 2009, 244. Somente no quarto trimestre a companhia entregou 92 jatos, dos quais 30 para o mercado de aviação comercial, 61 para o de aviação executiva e um para o segmento de defesa. No mesmo período do ano anterior foram entregues 91 aeronaves.

A carteira de pedidos firmes a entregar (backlog) fechou o ano em US$ 15,6 bilhões, valor 2% maior que o registrado em 30 de setembro de 2010, mas inferior à posição de R$ 16,6 bilhões de dezembro de 2009.

Analistas afirmam, entretanto, que o comportamento atípico do papel pode ser a combinação de diversos fatores, como a inclusão do ADR da companhia na lista de "compra com convicção" do Goldman Sachs e especulações de que a Embraer pode receber pedidos da Delta e da Continental-United, além dos novos dados operacionais. O papel já acumula valorização de 16,8% no mês.

Construtoras também participam da lista de altas mais expressivas do Ibovespa, com Rossi (+1,84%), PDG Realty (+1,68%) e MRV (+1,11). O papel ON da Rossi reage ao anúncio de recorde histórico de lançamentos, vendas e velocidade de vendas (VSO) no quarto trimestre de 2010. O indicador VSO subiu mais um ponto na comparação com o trimestre anterior, para 28%, o maior desde o primeiro trimestre de 2009, quando era de 15%. No quarto trimestre de 2009, o VSO foi de 23%.

Em 2010, os lançamentos totais somaram R$ 4,8 bilhões, 74% acima de 2009. O segmento econômico representou metade (50%) do valor geral de vendas (VGV) lançado pela companhia (parte Rossi). Já as vendas totais contratadas cresceram 71% na comparação anual, para cerca de R$ 4 bilhões, sendo R$ 3,1 bilhões em parte Rossi.

Vale e Siderúrgicas

Vale PNA subia 1,27% e a ação ON aumentava 1,30%, ambas entre as maiores altas do índice. Bradespar, importante acionista da mineradora, registrava alta de 1,63%, também na lista. MMX avançava 1,07%. Hoje, contratos futuros dos metais básicos negociados na London Metal Exchange (LME) operam em alta, com o cobre registrando níveis recordes e o níquel na máxima em oito meses, enquanto o euro ganha força em relação ao dólar.

Siderúrgicas sobem em bloco, com Usiminas ON puxando a fila (+0,98%); Gerdau Metalúrgica valorizava 0,85%, Gerdau aumentava 0,75% e Usiminas PNA subia 0,10%. A exceção foi a CSN, que recuava 0,10%.

A Usiminas informou hoje que sua unidade de negócios Usiminas Mecânica entra em 2011 com R$ 286 milhões em novos contratos na carteira. São cinco projetos nas áreas de siderurgia, energia eólica, infraestrutura e equipamentos industriais, conforme comunicado divulgado mais cedo.

Também na lista das maiores altas estavam Brasil Ecodiesel (+2,02) e Brasil Foods (+1,43%).

Petrobrás e OGX

A ação PN Petrobrás subia 1,02%, enquanto o papel ON aumentava 0,84%. Icap Brasil liderava as compras, enquanto as vendas eram puxadas pela Socopa. Petrobras era a segunda mais negociadas na Bovespa hoje, com giro de R$ 280 milhões em 4.200 negócios.

OGX Petróleo subia 0,81%.

Na ponta vendedora, os destaques eram Marfrig (-2,23%), Cemig (-1,51%), Eletropaulo (-1,20%), Ambev (-1,13%), CCR (-1,12%), B2W (-1,08%) e Telemar (-1,05).

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaBovespaValePetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.