Bovespa se recupera e fecha com alta de 0,21%

Forte recuperação das bolsas norte-americanas levou os investidores a se reposicionarem na compra

Cláudia Violante, da Agência Estado,

29 de setembro de 2011 | 17h33

A Bovespa garantiu uma pequena alta no final da sessão, depois de um dia bastante volátil. Pela manhã, operou em alta e, à tarde, virou para baixo e ameaçou fechar nos 52 mil pontos pela primeira vez em setembro. Foi a forte recuperação das bolsas norte-americanas que levou os investidores a se reposicionarem na compra e, assim, garantir o terceiro pregão no azul nesta semana.

O Ibovespa terminou a sessão em alta de 0,21%, aos 53.384,67 pontos. Na mínima, registrou 52.849 pontos (-0,79%) e, na máxima, 54.207 pontos (+1,76%). No mês acumula perda de 5,51% e, no ano, de 22,97%. Na avaliação do gestor da Yield Capital, Hersz Ferman, a Bovespa tem acompanhado o mercado externo, onde as incertezas têm sido o fio condutor dos negócios. "E lá fora o mercado está operando em cima de boataria política. Nada é conclusivo e o mercado fica muito volátil", comentou.

A Bovespa sentiu hoje o peso de Vale, que sentiu os efeitos da notícia de que as siderúrgicas chinesas ameaçam reduzir importação de minério. Vale ON terminou em queda de 0,61%, e a PNA, de 1,18%. No geral, o mercado foi favorecido pela aprovação, por parte do Parlamento Alemão, das mudanças na Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, em inglês), além de bons indicadores na Europa e também nos Estados Unidos. Os parlamentos do Chipre e da Estônia também aprovaram mudanças na EFSF.

O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 0,66%, para fechar em 228,90 pontos. Ajudado pelos bancos, o índice DAX 30 subiu 1,1% na Bolsa de Frankfurt, fechando em 5.639,58 pontos. Na Bolsa de Paris, o CAC 40 avançou 1,07%, para 3.027,65 pontos. Já o FTSE 100, da Bolsa de Londres, fechou em queda de 0,40%, em 5.196,84 pontos. As ações de mineradoras caíram: Xstrata caiu 3,9%, Fresnillo recuou 4,5% e Rio Tinto cedeu 3%.

Nos EUA, as bolsas passaram o dia em um movimento de vaivém. O Dow Jones acabou fechando com ganho de 1,30%, aos 11.153,98 pontos, o S&P avançou 0,81%, aos 1.160,40 pontos, e o Nasdaq caiu 0,43%, aos 2.480,76 pontos. Os indicadores conhecidos foram positivos, entre eles a alta acima do previsto do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre (+1,3% ante previsão de +1,2%) e o número de pedidos de auxílio-desemprego (queda de 37 mil ante previsão de -3 mil) na última semana. Na Nymex, o contrato do petróleo para novembro subiu 1,14%, a US$ 82,14 o barril. No Brasil, Petrobras ON fechou em baixa de 0,47% e a PN subiu 0,26%.

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaAlemanhaEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.